fbpx

Grêmio suspende todas as torcidas organizadas envolvidas no protesto e promete fazer jogo duro contra violência

Direção toma a primeira medida após o violento protesto com pedras e fogos no CT Luiz Carvalho

No dia seguinte ao violento protesto em frente ao CT Luiz Carvalho, com direito a arremesso de pedras e foguetório por parte de vândalos, o Grêmio decidiu suspender as quatro torcidas envolvidas na manifestação: Geral do Grêmio, Torcida Jovem, Garra Tricolor e Rasta do Grêmio.

Na prática, esses grupos não poderão ingressar na Arena com materiais de identificação. O clube não confirmou o período de suspensão, mas já é possível imaginar a presença de público no jogo do dia 12, em casa, contra o Ceará – na noite de quarta, o Governo do RS autorizou o retorno com 40% de ocupação em cada setor e máximo de 2.500 pessoas no estádio.

“Todas as torcidas serão suspensas, não irão ingressar no estádio os torcedores e nenhum material que identifique as torcidas, como bandeiras ou faixas. Estamos identificando, através de imagens, torcedores que participaram deste ato de vandalismo. Protestar é legítimo, mas depredar o patrimônio do clube e agir com violência é inadmissível. Vamos ajudar a polícia e a justiça a identificar estes vândalos”, destacou Nestor Hein, diretor-jurídico do Grêmio, em contato com a reportagem do site Goal.

Quatro torcedores foram detidos pela polícia no decorrer do protesto e já estão proibidos de acessarem à Arena. O clube segue trabalhando na identificação dos agressores e irá suspender o acesso ao estádio e banir do quadro social.

Nas redes sociais, todas as torcidas punidas se manifestaram repudiando a parte violenta do protesto – a Geral do Grêmio, que era a única das quatro registrada oficialmente pelo clube, assim se manifestou:

Gostou do site? Então deixe sua curtida:

Publicidade

Utilizamos cookies. Aceitar Ler políticas