Na despedida, Paixão promete seguir torcendo pelo Inter, e responsável pelo vazamento se defende: “Mandei só pra duas pessoas”

Coordenador da preparação física pediu demissão à diretoria do Inter e depois gravou vídeo aos torcedores

Após a repercussão do áudio vazado em que fez críticas ao elenco do Inter, o então coordenador da preparação física do clube, Paulo Paixão, procurou a direção do clube para pedir demissão. Entendendo ter ficado “sem ambiente” para seguir, o experiente profissional, já oficialmente fora do Beira-Rio, gravou um vídeo destinado aos torcedores onde prometeu continuar na torcida pelo time.

“Olá, pessoal. Estou aqui para fazer um comunicado, houve um vazamento de áudio no qual fiz o desabafo com um amigo em particular. Infelizmente esse áudio vazou. Após esse vazamento, procurei meu diretor-executivo e pedi demissão. Nestes 47 anos de profissão, e peço desculpas aos jogadores, direção, comissão técnica, funcionários e torcedores do Inter, em todo esse tempo de profissão jamais me ocorreu isso. É um momento no qual eu tenho que entender que se eu errei, tenho que assumir o erro. Estarei na torcida. Com o trabalho desenvolvido com o Diego Aguirre dentro do vestiário, com certeza os atletas irão alcançar o objetivo que é a classificação para a Libertadores. Estarei em casa torcendo como nunca, fervorosamente, para que esse grupo junto com a direção, funcionários, comissão técnica e os torcedores, atinjam o objetivo. O Inter é grande, o Inter é campeão mundial”, declarou – veja abaixo:

Segundo informações do jornalista Cristiano Silva, da Rádio Guaíba e do portal Goal, Paixão descobriu que o vazamento surgiu de um amigo do clube Geraldo Santana, localizado em Porto Alegre. Este amigo teria se defendido dizendo que “só mandei para duas pessoas” em relação à distribuição da gravação.

Aguirre e direção saem em defesa do elenco do Inter

Na manhã desta terça-feira, segundo a Rádio Gaúcha, o técnico Diego Aguirre teve uma conversa reservada com o elenco colorado no vestiário garantindo que a opinião de Paixão é apenas dele e não da comissão técnica. O Inter, já focado no jogo contra o Fluminense fora de casa nesta quarta, dá o caso como encerrado.

“Externou posições pessoais dele. Tenho minhas opiniões, mas o clube não concorda com as opiniões que, contra vontade dele, se tornaram públicas. Estamos focados nestes jogos, não podemos negar que achávamos que neste momento estaríamos mais à frente na tabela. Estamos em uma posição que não é mais confortável. Precisamos de mais vitórias para conseguir chegar na Libertadores”, disse o vice eleito colorado Dannie Dubin à Rádio Gaúcha.

O que falou Paixão?

Outra dificuldade: o Diego (Aguirre) olha para trás no banco e é só garoto. O Boschilia, que é enganador, que não é mais garoto, o resto é tudo garoto. Entendeu? O time vai ter que contratar. Se quiser fazer alguma coisa para o ano que vem, vai ter que contratar. Trocar algumas peças aí, umas peças que já estão em tempo de clube há muito tempo. Faz uma permuta. Patrick com não sei quem. Dourado com não sei quem. Cuesta, entendeu? Tem que fazer, compadre. Tem que renovar. Vestiário, entendeu? É muito tempo ali. Enfim, é difícil, meu compadre. Treinador olha para trás assim, aí o Renato olha para trás e, caramba, Arrascaeta, não sei quem, não sei quem. Esse entendimento nós temos. É fundamental esse papo de roda. Ele vai ajudando acima de tudo. Temos conversado com o presidente tudo isso. Não dá para olhar para trás e fazer o que? Vamos ver“.

Ouça:

Receba as notícias do Inter em primeira mão: