Direção do Inter diz que não concorda com o teor do áudio de Paulo Paixão: “Externou posições pessoais dele”

Após a repercussão do vazamento do áudio, Paulo Paixão pediu demissão à direção do Inter

As críticas de Paulo Paixão feitas ao elenco do Inter, tendo como alvo nomes do porte de Boschilia, Patrick, Dourado e Cuesta, não são compartilhadas pela direção do clube. Em entrevista dada à Rádio Gaúcha, o vice-presidente eleito da gestão de Alessandro Barcellos, Dannie Dubin, fez elogios ao agora ex-coordenador da preparação física, mas deixou claro que a diretoria não concorda com o que foi dito.

LEIA MAIS – Base, feminino, profissional e torcida: cinco vezes que Taison mostrou liderança e grandeza no retorno ao Inter

“Fomos surpreendidos hoje (segunda) pelo vazamento deste áudio. Depois do acontecimento, ele procurou o Paulo Bracks e o Emilio Papaléo, e decidiu pedir para sair, pediu demissão. Nós aceitamos, entendemos a posição dele. Infelizmente não vamos mais contar com ele nessa temporada, mas é um grande profissional, passou várias vezes pelo clube e sempre com um trabalho de excelência”, disse Dubin, antes de terminar:

“Externou posições pessoais dele. Tenho minhas opiniões, mas o clube não concorda com as opiniões que, contra vontade dele, se tornaram públicas. Estamos focados nestes jogos, não podemos negar que achávamos que neste momento estaríamos mais à frente na tabela. Estamos em uma posição que não é mais confortável. Precisamos de mais vitórias para conseguir chegar na Libertadores”.

O áudio caiu como uma bomba no vestiário do Inter, tornando insustentável a continuidade de Paixão no cargo. A gravação, feita a um amigo particular, aconteceu depois da derrota de 2×1 em casa para o Flamengo, no sábado. Boschilia, chamado de “enganador”, se manifestou na web dando a sua resposta para o episódio – releia aqui.

O que Paixão disse no áudio?

Outra dificuldade: o Diego (Aguirre) olha para trás no banco e é só garoto. O Boschilia, que é enganador, que não é mais garoto, o resto é tudo garoto. Entendeu? O time vai ter que contratar. Se quiser fazer alguma coisa para o ano que vem, vai ter que contratar. Trocar algumas peças aí, umas peças que já estão em tempo de clube há muito tempo. Faz uma permuta. Patrick com não sei quem. Dourado com não sei quem. Cuesta, entendeu? Tem que fazer, compadre. Tem que renovar. Vestiário, entendeu? É muito tempo ali. Enfim, é difícil, meu compadre. Treinador olha para trás assim, aí o Renato olha para trás e, caramba, Arrascaeta, não sei quem, não sei quem. Esse entendimento nós temos. É fundamental esse papo de roda. Ele vai ajudando acima de tudo. Temos conversado com o presidente tudo isso. Não dá para olhar para trás e fazer o que? Vamos ver“.

Ouça:

Receba as notícias do Inter em primeira mão: