Jogadores do Inter admitem que o gramado em Bagé prejudicou o desempenho do time

Alguns atletas admitiram a dificuldade a mais por conta do campo do Estrela D'Alva

As condições do gramado do Estádio Estrela D’Alva, em Bagé, atrapalharam os planos do Inter na partida desta quarta-feira, pelo Gauchão, na derrota de 2×1 para o Guarany. Esta, ao menos, foi uma das justificativas dadas por alguns dos jogadores que estiveram em campo – inicialmente, Eduardo Coudet escalou time alternativo, mas titulares como Alan Patrick, Aránguiz, Wanderson e Enner Valencia entraram na sequência da partida.

“Enfrentamos dificuldades por causa do campo. Nosso time é muito técnico”, opinou Renê, complementado por Pedro Henrique, que fez o gol de pênalti do Inter no primeiro tempo: “Todos vão enfrentar gramados bons e outros nem tanto. As condições do gramado eram ruins”.

Veja também:
1 De 6.099

“Sabemos a dificuldade que é jogar no interior. Um time técnico, como é o nosso, a gente sente um pouco e sai da nossa característica de jogo. E quando sai com 2×0 contra fica muito mais difícil. Nós tentamos. Viemos aqui para defender a nossa liderança, mas agora é seguir trabalhando e evoluindo. Ajustar o que temos para melhorar, seguir evoluindo e pensar no jogo em casa agora”, opinou Alan Patrick.

Técnico do Inter evita culpar gramado

Coudet, por sua vez, preferiu assumir a responsabilidade da derrota e minimizou a situação do gramado. O Inter volta a jogar neste sábado, 16h30, em casa, contra o Caxias.

“O grupo não é 11 jogadores. Se estão tendo oportunidades, agora é tempo de dar oportunidade e minutagem, depois avaliações individuais são feitas internamente. A camisa obriga a ganhar. Assumimos a responsabilidades de ter perdido. Não vou colocar a culpa da derrota no gramado”, avaliou o argentino.

LEIA MAIS NOTÍCIAS:

Utilizamos cookies. Aceitar Ler políticas