fbpx

Vice de futebol dá a versão da direção sobre saída de Maicon e diz que o trabalho está bom: “É que o anímico pega”

Vice de futebol Marcos Herrmann concedeu entrevista à Rádio Gaúcha na noite desta terça-feira

Pela primeira vez de forma pública, a direção gremista se manifestou sobre o fato que agitou a semana do clube: a rescisão de contrato “em comum acordo” com Maicon. Em entrevista à Rádio Gaúcha nesta terça-feira, o vice de futebol Marcos Herrmann (foto) passou o posicionamento do clube e ainda lembrou que, pela forma como o jogador foi expulso contra o Corinthians, a tendência era de grande gancho de jogos.

LEIA MAIS – Em longo texto, Douglas diz que Maicon mudou “estilo de jogo histórico” do Grêmio e cita jogada clássica: “Sua característica”

O dirigente também confirmou que Maicon vinha se irritando bastante pelas sucessivas lesões e por não estar conseguindo ajudar dentro de campo:

“Desde o ano passado ele sofre com microlesões, nada grave, mas tem sido prejudicado. E isso irrita ele. Porque ele não admite perder, jogar mal, não estar em condições ou não colaborar. Às vezes ele fica brabo, se incomoda, enfim, acho perfeitamente normal. No sábado ele repetiu isso e foi expulso. Provavelmente ele tomaria uma baita suspensão, então entendemos que talvez fosse melhor para nós e para ele, que ele se recupere perfeitamente dos desconfortos físicos e no ano que vem siga a vida na atividade que quiser”, colocou.

Herrmann, em tom de elogios, ainda declarou que raras vezes na sua vida de torcedor do Grêmio viu um volante com tanta qualidade técnica para jogar como Maicon.

Maicon
Volante tinha contrato válido apenas até dezembro – Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Vice de futebol nega que o trabalho no Grêmio esteja ruim

Confiante na saída do Z4, mesmo estando o time em 18° com 16 pontos no Brasileirão, Herrmann negou que o trabalho atual esteja ruim e admitiu que o fator psicológico vem pesando em alguns momentos:

“Não temos essa leitura interna de que o trabalho não está bom”, disse, antes de acrescentar:

“Estamos remontando um time com o campeonato em andamento. Mudando o modelo, o time, chegaram contratações que ainda não estão entrosadas. Precisaremos ter paciência até surgir o futebol”.

O vice de futebol, porém, evitou fazer qualquer tipo de terra arrasada ou apresentar desespero em seu discurso:

“Considerando um time que não era para estar nessa situação, o anímico está pegando. Se faltassem duas ou três rodadas, era uma coisa seríssima. Mas faltando 20 rodadas, acredito plenamente. É coisa de ganhar dois jogos seguidos e estaremos saindo”.

Nesta quarta-feira, o elenco do Grêmio se reapresenta e reinicia os trabalhos visando o jogo do dia 12, em casa, contra o Ceará.

Gostou do site? Então deixe sua curtida:

Publicidade

Utilizamos cookies. Aceitar Ler políticas