Guerra já teve o desejo de ter Felipão como coordenador do Grêmio; cargo está vago no clube

Presidente gremista já pensou em ter Felipão no clube em outro momento

Publicidade

Mesmo nas finais do Mineiro para disputar contra o Cruzeiro, o técnico Luiz Felipe Scolari, o Felipão, optou por deixar o clube em comum acordo, passando novamente a ficar livre no mercado. De imediato, como mostramos nesta reportagem aqui, torcedores gremistas se agitaram e pediram a volta de Scolari para trabalhar no futebol como suporte ao treinador Renato Portaluppi.

De acordo com apuração feita pelo jornalista Leonardo Müller, que é identificado com o Grêmio, a chance de Felipão ser convidado para ocupar o cargo “é possível” de acontecer. Até porque o presidente gremista Alberto Guerra, segundo ele, tinha esse objetivo durante a campanha eleitoral no clube na reta final de 2022.

“O Guerra queria o Felipão. Esta foi uma frase dita pelo ex-assessor do presidente Alberto Guerra, o Filipe Kunrath, no período eleitoral. Então candidato, o Guerra tentou se aproximar do Felipão para ser coordenador técnico. O que tem de real aqui? O último grande coordenador do Grêmio foi o Espinosa, que foi campeão em 2017. Não tenho dúvida que Felipão seria o cara ideal para ocupar esse cargo. Mas tem que ver se ele quer fazer isso. Se o Guerra queria em 2022, espero que ele queira agora”, declarou o comunicador em seu canal no YouTube.

Multicampeão pelo próprio Grêmio, tendo vencido títulos do porte de Libertadores e Brasileirão na década de 90, Felipão havia encerrado a carreira de treinador no Athletico no final de 2022. No ano seguinte, abriu como diretor técnico do time paranaense, mas deixou o cargo no mesmo ano e aceitou o convite para voltar a ser treinador por parte do Atlético-MG.

Grêmio tem Alberto Guerra como presidente
Alberto Guerra é um admirador da história de Felipão – Foto: Lucas Uebel/Divulgação

Grêmio teria espaço para um coordenador?

No momento, o Grêmio não tem um coordenador técnico como foi Valdir Espinosa, com Renato, entre 2016 e metade de 2017. O clube tem Antônio Brum como vice-presidente de futebol e Luís Vagner Vivian como diretor executivo no atual organograma da direção.

Felipão gosta muito do tricolor

Como já é sabido por todos, Felipão não se cansa de mostrar todo o seu carinho e amor pelo Grêmio. Tanto que chegou a “lamentar” quando o seu Atlético-MG venceu o tricolor por 3×0 na reta final do Brasileirão do ano passado em Belo Horizonte:

“Deixa eu dizer que eu também estou chateado hoje. Porque sou um profissional, trabalho pelo Galo, trabalho pelo Atlético, mas sou gremista de nascimento, sou gremista de coração (…) Hoje ganhamos do nosso time. Dói, 3 a 0. Se pudéssemos ganhar de 5, 6, ganhávamos, coisa boa”, declarou Scolari, naquela oportunidade.

Nesta sua mais recente passagem, substituindo o hoje colorado Eduardo Coudet, Felipão treinou o Atlético-MG em 41 jogos, com 19 vitórias, 10 empates e 12 derrotas, tendo somado 54% de aproveitamento dos pontos. Ele classificou o time à Libertadores pela campanha realizada no Brasileirão de 2023.

LEIA MAIS NOTÍCIAS:

Ajude o Rio Grande do Sul – Doe pelo PIX – CNPJ: 92.958.800/0001-38

Ajude o Rio Grande do Sul
Chave PIX - CNPJ: 92.958.800/0001-38 Instituição: Banrisul Nome: SOS Rio Grande do Sul

Utilizamos cookies. Aceitar Ler políticas