Caxias entende que teria mais chances contra o Grêmio se Marchesín fosse o titular do gol

Time da serra gaúcha vai tentar virar o jogo na próxima terça-feira na Arena

Publicidade

O Caxias deixou o campo no último sábado, após perder por 2×1 em casa para o Grêmio, convicto de que o resultado poderia ser diferente se o goleiro adversário fosse Marchesín e não Caíque. O argentino, contratado recentemente junto ao Celta de Vigo, da Espanha, sequer foi relacionado e não viajou para a partida de ida da semi do Gauchão. Ele está voltando de lesão muscular e segue sendo preparado pela comissão técnica.

Na visão do treinador caxiense, Argel, a presença de Caíque e não de Marchesín foi decisiva para o Grêmio sair vitorioso do jogo inicial da semi. Em sua coletiva, o ex-técnico do Inter ainda declarou que o goleiro brasileiro gremista deveria levar o “bicho dobrado” pelo resultado:

“Nós fizemos de tudo, principalmente no primeiro tempo, para fazer o gol. Só não contávamos com uma inspiração tão forte do Caíque. Ele foi o nome do jogo. Existia até uma dúvida entre ele ou o Marchesín. Quem sabe pra nós se tivesse o outro… mas tudo na suposição. Não passa pela arbitragem a nossa derrota. O árbitro competente. A nossa derrota passa pelo Caíque, que merece o bicho dobrado”, afirmou Argel, que ainda acrescentou:

“O resultado não diz o que foi o jogo, essa é a verdade. No primeiro tempo, estivemos muito bem. Tivemos uma intensidade alta, não deixamos o Grêmio jogar. O Caíque talvez tenha sido o melhor jogador em campo. Tivemos quatro chances claríssimas. E, no momento em que estávamos muito bem, em que o gol parecia ser questão de tempo, o adversário tem qualidade e, em uma jogada bem trabalhada, nosso goleiro ainda fez a defesa, mas ela repica na área e o Grêmio faz seu gol. O Grêmio teve uma chance e mais nada”, disse Argel, em declaração recuperada por GZH.

Argel ex-Inter está no Caxias
Argel elogiou bastante o goleiro gremista Caíque – Foto: Vitor Soccol/S.E.R.Caxias

Renato desconversa sobre titularidade no gol do Grêmio

Mesmo com a atuação bastante elogiada de Caíque, o técnico Renato Portaluppi, na coletiva pós-jogo, evitou cravar qual será o seu titular do gol na temporada. Ele reforçou a importância de ter um grupo forte para tocar todas as competições da temporada:

“O meu time não tem titular. Tenho um grupo. Dependendo do jogo e do local, pode jogar um ou outro. Estamos bem servidos de goleiros. O Marchesín está voltando de lesão muscular. E em um campo pesado como esse, não quis arriscar. O Caíque vem bem, o Grando também. O Marche não está 100% ainda, voltou faz alguns dias. Quem está dentro do clube sabe o que está acontecendo, sabe o problema dos jogadores e como eles estão. Quem conhece a condição do jogador é o treinador, o fisioterapeuta, o auxiliar. Tomo decisões para o melhor para o clube”, explicou.

Ainda com a dúvida sobre a titularidade de Caíque ou Marchesín, o Grêmio tem toda esta semana para trabalhar pensando no jogo da volta. Por regra, terá o direito de empatar para passar de fase e ir à final estadual. O novo duelo contra o Caxias acontecerá na Arena, em Porto Alegre, terça-feira, dia 26, a partir das 21h.

LEIA MAIS NOTÍCIAS:

Ajude o Rio Grande do Sul – Doe pelo PIX – CNPJ: 92.958.800/0001-38

Ajude o Rio Grande do Sul
Chave PIX - CNPJ: 92.958.800/0001-38 Instituição: Banrisul Nome: SOS Rio Grande do Sul

Utilizamos cookies. Aceitar Ler políticas