Celso Roth revela “problema até hoje” por ter trocado o Vasco pelo Inter em 2010

Ex-treinador colorado teve diversas passagens pelo Beira-Rio

Velho conhecido da torcida do Inter, o ex-técnico Celso Roth relembrou uma das passagens mais marcantes pelo clube, no ano de 2010, em nova entrevista dada para o seu jogador daquela época, D’Alessandro, que mantém um programa de bate-papo no YouTube, no canal “Dale TV”. Roth, que está fora do mercado há alguns anos, citou até um “problema” que a sua ida ao Beira-Rio naquele ano lhe criou para a carreira.

Por ter deixado o Vasco da Gama com apenas três meses de trabalho, Roth comprou uma briga com o então executivo de futebol vascaíno, Rodrigo Caetano, com quem mantinha ótima relação desde os tempos de Grêmio. Atualmente, já fizeram as pazes e deixaram o episódio no passado.

Veja também:
1 De 6.102

“Tu sabe que até hoje essa saída do Vasco para o Inter me causa um problema. Em uma das minhas passagens no Grêmio, eu estava apenas com o Seu Verardi na direção e chamamos o Rodrigo Caetano para auxiliá-lo. E ali se criou uma relação forte entre nós. Anos depois, quem me leva para o Vasco é o próprio Caetano. Quando eu saio com três meses de trabalho para ir ao Inter, ele fica muito chateado comigo. Recentemente nos falamos. Ele tem uma personalidade parecida com a minha”, comentou Roth, antes de lembrar o convite do então dirigente Fernando Carvalho:

“O Fernando Carvalho me ligou na noite que ganhamos do Inter de virada, em São Januário. Eu disse: ‘Fernando, acabei de começar um trabalho no Vasco’. Mas ele disse que eu era o cara para o momento, que eu não precisaria me preocupar com multa, com nada. Foi uma decisão profissional importante naquele momento. No aeroporto em Porto Alegre, quando eu chego, eu digo que com a qualidade de elenco que o Inter tinha seríamos campeões da Libertadores. E foi o que aconteceu”.

Roth passou pelo Inter novamente em 2016

Campeão da Libertadores jogando o restante da campanha da semi em diante em 2010, Roth esteve presente no Mundial do mesmo ano e viveu de perto o fracasso da derrota na semifinal para o Mazembe – até então, nenhum sul-americano havia perdido nesta fase. Seis anos depois, ele voltaria a convite do mesmo Fernando Carvalho na campanha que levou o Inter ao seu inédito rebaixamento.

LEIA MAIS:

Utilizamos cookies. Aceitar Ler políticas