Em conversa com Paulo Pimenta, presidente do Inter projeta data de retorno ao Beira-Rio

Sem poder utilizar o seu estádio, Inter segue analisando alternativas daqui para frente

Publicidade

Designado pelo presidente Lula para coordenar o Ministério Extraordinário de Apoio à Reconstrução do Rio Grande do Sul, Paulo Pimenta se reuniu nos últimos dias com o presidente do Inter, Alessandro Barcellos, com o vice do Grêmio, Fábio Floriani e com o presidente da FGF, Luciano Hocsman. O objetivo do encontro foi debater maneiras do Governo Federal ajudar os clubes gaúchos em meio aos estragos causados pela chuva.

Pimenta esteve presencialmente avaliando os estragos no Beira-Rio e perguntou para Barcellos qual seria uma data possível do Inter voltar a receber jogos em sua casa. O presidente colorado falou da perda da grama e não foi otimista na sua resposta:

Veja também:
1 De 5.995

“Tem que colocar grama nova, isso é 45 dias no mínimo. De 45 a 60 dias. Perdemos a grama toda e tem de colocar grama nova”, lamentou o mandatário.

Segundo informações do Inter, Pimenta comentou sobre algumas medidas que podem amenizar o impacto da paralisação do futebol gaúcho e planos para viabilizar o retorno dos jogos, como a alfândegação da base aérea de Canoas para jogos da Conmebol, além de auxílio logístico para os aeroportos.

Ciente das dificuldades geradas pela enchente, o Governo Federal também deseja aproximar os times do Rio Grande do Sul do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) e Caixa Econômica Federal, para o auxílio financeiro.

Inter saindo de Porto Alegre

Neste sábado, o Inter realizou o seu último treinamento no Complexo Esportivo da PUCRS e agora inicia a viagem para Itu, no interior paulista, onde trabalhará em uma espécie de intertemporada em um resort local. A tendência é que o jogo do dia 28, contra o Belgrano, pela Sul-Americana, seja confirmado na mesma cidade, no Estádio Novelli Júnior, que costuma ser utilizado pelo Ituano.

LEIA MAIS:

Canal WhatsApp - Zona Mista Inter

Utilizamos cookies. Aceitar Ler políticas