Presidente do Inter explica a saída de Enzo, filho de Fernandão: “Ganhar minutos e jogar”

Jogador, que foi recuado para a função de volante, foi emprestado para a Aparecidense

Publicidade

Sem perspectiva de ser utilizado neste momento no elenco principal do Inter, Enzo, filho de Fernandão, foi emprestado pelo clube até o final do ano para a Aparecidense, de Goiás, que disputa o Campeonato Goiano e a partir de abril jogará a Série C nacional. Para o presidente colorado Alessandro Barcellos, a transferência será positiva para que o jovem, que tem 20 anos, possa jogar mais e ter minutos em um time profissional.

“Claro que a gente tem a função de dirigente, mas não descola da função afetiva e emocional. O Enzo sabe disso e a família dele também. Mas ele é um profissional. Foi forjado ao longo da vida para ser profissional do futebol. E sabe que, em alguns momentos, decisões são tomadas. Entendemos que era o melhor momento. Agora é minutagem, é jogo. É um passo importante. Torcemos para que dê tudo certo e ele tenha capacidade de dar esse salto agora. É um empréstimo e ele segue com contrato com o Inter”, disse Barcellos, em entrevista ao jornalista Duda Garbi.

Enzo, durante grande parte de sua formação na base, atuou na função de centroavante da mesma forma que o pai. Porém, recentemente, foi recuado para a função de volante e jogou desta maneira a última Copa São Paulo de Futebol Júnior, sendo inclusive o capitão colorado. O Inter, entretanto, decepcionou e caiu logo na primeira eliminatória ao levar 4×0 do Fortaleza. O contrato do atleta vai até o fim de 2024 no Beira-Rio.

No Inter ou não, Enzo pedia sequência de jogos

Em recente entrevista que também foi dada ao jornalista Duda Garbi, o filho do eterno capitão colorado falou do seu desejo de ter mais oportunidades de jogar, seja como volante ou mais no setor de ataque.

“Eu quero jogar, não importa a posição em que eu atuo. Mudei de posição há um mês mais ou menos. Na Copinha eu joguei de primeiro volante na maior parte do torneio, só fui segundo volante no jogo contra o Fortaleza. Na Copinha foi minha amostragem. Eu acho que joguei bem e me falaram coisas boas. Já estava jogando de meia, consigo entender bem o que tenho que fazer e me adaptar ao que o treinador pede”, comentou, na ocasião.

Leia mais notícias:

Utilizamos cookies. Aceitar Ler políticas