Coudet explica por que não vem dando mais oportunidades ao meia Gabriel Carvalho

Jogador deu assistência contra o Vitória, mas depois não voltou a ter chances

Após iniciar a sua trajetória no profissional dando assistência na derrota para o Vitória, fora de casa, o jovem meia Gabriel Carvalho, de 16 anos, mostrou que poderia receber mais chances do técnico Eduardo Coudet. Mas, até agora, o garoto vem apenas completando o banco de reservas, sem ser chamado com frequência para atuar. Ele novamente não entrou na derrota de 2×1 para o Vasco, no Beira-Rio, pelo Brasileirão.

Depois do resultado negativo no jogo de retorno ao estádio, Coudet foi perguntado sobre a falta de chances a este específico jogador. E, na resposta, bateu na tecla de sua pouca idade para os desafios de jogar uma Série A nacional:

Veja também:
1 De 6.113

“Com a pressão que teríamos aqui, era jogo para o Gabriel Carvalho? Com 16 anos? Lembro de uma coletiva onde me perguntaram se Gustavo Prado entrou tarde no time. No outro jogo iniciou e não foi sua melhor partida. Não me perguntaram se ele não iniciou muito cedo (risos). Sempre quem não joga é o melhor. Em um time que vem ganhando, que tem estrutura armada para sustentar o garoto, é mais fácil colocar”, justificou Coudet.

A partir desta segunda, o Inter começa a pensar no jogo da quarta-feira, 19h, diante do Juventude, novamente no Beira-Rio. O duelo é válido pela ida da terceira fase da Copa do Brasil. A volta, em Caxias do Sul, já é no sábado às 16h.

Outras falas de Coudet em sua coletiva:

DIFICULDADE DE TREINAR OS JOGADORES

Nós tivemos uma enchente. Depois, várias lesões. Fisicamente não consigo repetir a forma que eu gosto de ver o time jogar. Eu tenho um estilo de jogo que eu não consigo implementar. Não dou treinos, porque não é possível por conta dos jogos. Treinei no sintético porque não tinha campos disponíveis em Alvorada. Não são desculpas, mas é o cenário que vivemos

VAIAS DA TORCIDA DO INTER

As vaias vão acontecer quando não ganhamos. Não tem como blindar o time das vaias. Já sabemos o ambiente que enfrentaremos na quarta. Ninguém gosta disso, mas o futebol é assim. Domingo tive que perguntar ao médico quem poderia jogar hoje

A DERROTA PARA O VASCO

Todos esperávamos ganhar os 3 pontos hoje. Não faltou presença ofensiva. Hoje estávamos fazendo um jogo bom, éramos melhores até o momento do gol. Praticamente não treinamos desde o último jogo até o de hoje. Sinto que não posso cobrar mais do que já estou cobrando dos jogadores por tudo que estamos vivendo

LEIA MAIS NOTÍCIAS:

Utilizamos cookies. Aceitar Ler políticas