Renato utiliza antiga frase de Coudet no Inter para definir o atual momento do Grêmio

Técnico gremista segue esperando mais reforços para ter um time competitivo

Publicidade

Ainda no aguardo de reforços para a temporada de 2024 do Grêmio, especialmente um centroavante para a vaga deixada por Suárez, o técnico Renato Portaluppi usou uma frase que ficou conhecida pelo rival Eduardo Coudet, no Inter, na sua passagem de 2020. Assim como o argentino disse lá atrás, Renato entende que, atualmente, também tem um “grupo curto” nas mãos.

A fala faz referência à falta de alternativas no elenco e à necessidade de contratações no mercado, algo que a diretoria garante estar trabalhando “fortemente”. Para exemplificar, Renato citou o caso do lateral-esquerdo Reinaldo, que vem jogando todas as partidas neste começo de ano:

“Estamos com um grupo reduzido. O próprio Reinaldo vem jogando todos os jogos. Temos o Wesley Costa, mas vamos devagar. Não gosto de meter os garotos em fria. Você não pode exigir muito do elenco com oito, dez dias de treinamento. É impossível. São dois problemas: o pouco tempo de pré-temporada e o grupo curto”, destacou Renato, depois da vitória de 1×0 sobre o Juventude pelo Gauchão, antes de ampliar:

“A gente sabe que jogadores vão chegar. O Grêmio nunca deixou de correr atrás de contratações. Não ia falar no assunto, mas vamos lá.  Eu falei com alguns jogadores que queriam vir, mas os clubes não liberam. Vamos fazer o quê? Não tem como. Estamos correndo atrás. Não podemos trazer jogador que não vai nos ajudar. Estamos trabalhando”.

Renato cutuca presidente do Inter

Próxima partida do Grêmio

Agora líder da primeira fase do Gauchão com 9 pontos em quatro jogos, o Grêmio, com tendência de novas mudanças na equipe e preservações, volta a atuar neste sábado, às 19h, fora de casa, diante do Avenida.

LEIA MAIS NOTÍCIAS:

Entre no canal do WhatsApp do Zona Mista e receba notícias do Grêmio em tempo real. (Clique Aqui)