fbpx

Renato adianta desejo de vitória na Arena, mas evita “hipocrisia” sobre reencontro: “É estranho, todos sabem a ligação”

Treinador do Flamengo admite sensação estranha por enfrentar o Grêmio depois do longo trabalho feito

Após quase cinco anos ininterruptos de trabalho, com títulos do porte de Copa do Brasil e Libertadores, o técnico Renato Portaluppi estará novamente na Arena na próxima quarta-feira, mas, dessa vez, na “estranha” condição de adversário. Foi assim que o comandante do Flamengo resumiu o reencontro com o Grêmio, rival rubro-negro nas quartas de final do torneio mata-mata.

LEIA MAIS – Após vitória, Bolzan faz cálculos visando Libertadores, não vê Flamengo “invencível” e fala do reencontro com Renato

Renato, em declarações dadas à colunista Marluci Martins, do UOL Esporte, deixou o claro o seu “profissionalismo” e o “desejo de vencer”, mas evitou ser “hipócrita”, como ele mesmo definiu:

“Eu seria muito hipócrita se dissesse que se trata de um jogo normal. Passei quase cinco anos no Grêmio, e fizemos um grande trabalho. Ganhamos títulos, e o relacionamento com o grupo e com a diretoria era muito bom. Claro que vai ser estranho. Todos sabem da minha ligação com o Grêmio, mas sou um profissional do futebol e quero ganhar. Sempre. Agora não vai ser diferente”, colocou.

Renato
Renato permaneceu de setembro de 2016 a abril de 2021 no Grêmio – Foto: Divulgação/Lucas Uebel/Grêmio

O que pensa o Grêmio sobre o reencontro com Renato

Da parte do Grêmio, tanto o técnico Felipão como o presidente Romildo Bolzan Jr enalteceram Renato em seu reencontro com a Arena, mas projetaram uma disputa em iguais condições em campo. Ambas as declarações foram dadas nas coletivas deste sábado depois da vitória de 2×0 na Arena sobre o Bahia, pelo Brasileirão:

“O Grêmio vai fazer seu jogo. Vamos enfrentar o Flamengo baseado no que nós conhecemos, na nossa possibilidade de jogar uma partida interessante, respeitando, mas mostrando as nossas condições ao Flamengo também. Esperamos receber Renato de braços abertos, porque aqui é a sua casa também. Vamos esperar que a gente possa ter, após o jogo de hoje, mais dois ou três jogadores vindos do DM”, disse Felipão, complementado pelo presidente:

“O Renato sempre vai ser lembrado como um ídolo em campo e fora dele, mas estamos em lados opostos. A gente tem civilidade, reconhecer, agradecer… mas neste momento, estamos em lados opostos, cada um vai buscar o seu resultado e isso faz parte do futebol”.

O duelo de volta e decisivo que determinará o semifinalista da Copa do Brasil ocorre no dia 15 de setembro, no Maracanã.

Gostou do site? Então deixe sua curtida:

Publicidade

Utilizamos cookies. Aceitar Ler políticas