“Mesmo que eu não fique no clube”: o pedido de Renato para o Grêmio não “abandonar” no futuro

Treinador gremista considera o trabalho das categorias de base como um dos seus legados

Orgulhoso pelo trabalho que vem realizando com a base do Grêmio desde setembro de 2016, data da sua volta ao clube, o técnico Renato Portaluppi quer que a filosofia de lapidar, lançar e depois lucrar com jovens jogadores seja mantida mesmo que ele saia no final desta temporada.

Este foi um dos temas abordados durante a sua entrevista exclusiva aos canais oficiais do Grêmio neste final de semana:

“Isso é uma coisa que é independente do Renato ficar ou não no Grêmio. Tem que ser uma coisa do clube sempre. Trabalhar a base, lapidar os garotos e aproveitar. Veja quantos nós já lançamos e quantos ainda estão para entrar. Isso é trabalho. Um trabalho excepcional, maravilhoso que o Grêmio faz”, declarou.

“Porque é importante em duas situações. Tanto em usar os garotos dentro de campo como também no fator financeiro para vender depois”, concluiu o chefe.

O “último” desta lista mencionada por Renato foi Pepê, que teve a venda concluída ao Porto nesta semana por 15 milhões de euros. Mas ele embarca apenas em julho e poderá seguir atuando até lá.

Confira a entrevista de Renato:

  • Clique aqui para entrar em um grupo de WhatsApp e acompanhar as notícias do seu time.

Utilizamos cookies. Ao continuar acessando este site você estará concordando com as políticas de privacidade. AceitarLer políticas

Políticas & Cookies