fbpx

Medeiros vê “erro de planejamento” da atual gestão, lembra inexperiência de Ramírez e elogia Abel: “Admiração grande”

Ex-presidente colorado Marcelo Medeiros voltou a falar sobre o Inter nesta quinta-feira

Afastado da vida diária do clube desde o final de 2020, quando passou o cargo presidencial ao seu sucessor Alessandro Barcellos, o ex-presidente Marcelo Medeiros voltou a falar sobre o Inter nesta quinta-feira à Rádio Gaúcha e admitiu que entende que, em relação às trocas de treinadores, houve um “erro de planejamento” da atual gestão.

LEIA MAIS – Mauricio cita aspecto extracampo que pode dificultar o Inter no domingo e não poupa elogios ao Fortaleza: “Momento bom”

Segundo Medeiros, o erro acontece quando não se tem pré-temporada, tempo para treinar e ainda assim a aposta feita, no caso em Miguel Ángel Ramírez, é de promover uma drástica mudança no estilo de jogo.

“Mudou um pouco o discurso. O Papaléo (Emilio Papaléo, novo vice de futebol) tem outro discurso do que era no início da temporada de 2021. A direção tem legitimidade para fazer as mudanças que deseja. Tenho um diálogo natural com o presidente Alessandro. A gente se liga, já estive no Beira-Rio tomando café também. Houve um erro no planejamento. Hoje é dia 16 de setembro. O futebol voltou no fim de julho de 2020. Temos 13 meses de futebol rolando e às vezes com dois jogos na semana. Sem férias, sem pré-temporada. Uma mudança de modelo de jogo e de proposta de jogo sem pré-temporada é arriscado. Esse fator gerou um desequilíbrio no momento da saída do Ramírez para a chegada do Aguirre. Mas a legitimidade da direção em escolher os profissionais é inequívoca”, comentou.

Medeiros evitou fazer críticas pontuais ao treinador espanhol, mas rasgou elogios ao seu antecessor, Abel Braga, que foi o técnico vice do Brasileirão de 2020:

“Eu não conheço o Ramírez. Não posso falar sobre o trabalho. É indiscutível que é jovem e que tinha pouca experiência. Eu tenho uma admiração muito grande pelo Abel. Pela maneira como conduz o vestiário. São pessoas diferentes. Não me sinto habilitado para comentar sobre um treinador que eu não conheço”.

Neste momento, o ex-presidente colorado não cogita voltar a concorrer por algum cargo no Inter:

“Neste momento é fora de cogitação (voltar a ter cargo no Inter). A minha família não iria gostar muito (risos). Nesse momento vou cuidar da minha vida, do meu escritório de advocacia. Agora as prioridades são outras”, encerrou.

Gostou do site? Então deixe sua curtida:

Publicidade

Utilizamos cookies. Aceitar Ler políticas