Inter descarta demissões, nota falta de “combatividade” no time e vai mudar próximas escalações

Direção descarta "terra arrasada" e vai manter os atuais profissionais do futebol

Publicidade

Apesar da frustração da inesperada queda para o Juventude, em derrota nos pênaltis em casa na semifinal do Gauchão, o Inter não trabalha com a possibilidade de demissões dos profissionais do futebol. As cobranças internas irão acontecer, mas o técnico Eduardo Coudet, seus auxiliares e os dirigentes da área vão seguir desempenhando as suas funções visando os novos desafios.

Isso não quer dizer, no entanto, que o time seguirá sendo o mesmo. Internamente, há o diagnóstico de “falta de combatividade”, o que pode gerar mudanças especialmente no setor de meio de campo. Nos dois recentes jogos, o Juventude se mostrou mais “físico” que o time colorado, causando preocupação no Beira-Rio para a sequência da temporada.

“Este time não vai ter imposição física, porque não temos essa característica. Podemos subir, brigar pela segunda bola, mas imposição física, disputa, é muito difícil. Completamos isso com Fernando, Borré e Thiago Maia. É o que está nos faltando para jogar algo diferente”, declarou Coudet, na coletiva pós-queda, em entrevista recuperada por GZH.

Barcellos é o presidente do Inter
Presidente ficou irritado com a eliminação – Foto: Reprodução/YouTube

Nesta quarta-feira, a comissão técnica começa a trabalhar o time pensando nas próximas escalações e a atividade será com portões fechados à imprensa no CT Parque Gigante. Há clima de cobrança e de necessidade de remobilização imediata para tocar a temporada.

“O sentimento é um misto de indignação e de vergonha. O trabalho que vem sendo feito e o apoio do torcedor não justifica estarmos fora do Gauchão. Da porta do vestiário para dentro, não pode ter relaxamento. Isso aqui é um negócio muito sério. Futebol movimenta milhões. E a necessidade é de estarmos sempre 100% focados. Esse trabalho foi feito. Nesses dois jogos, vimos um adversário agrupado, forte, dividindo, chegando. E nós tivemos dificuldades contra o Juventude, que teve os seus méritos. Não vou individualizar, mas já tivemos cobranças. E elas serão maiores ainda”, afirmou o presidente Alessandro Barcellos na segunda-feira, depois da derrota.

“Tem o mérito do adversário, que estuda a nossa equipe e nossos pontos fortes. Concordo que conseguiram fazer uma marcação forte no jogo de lá. Não conseguimos, como equipe, fazer um jogo brilhante e tínhamos a confiança que na nossa casa seria um jogo diferente, porém o Juventude conseguiu fazer uma marcação dura. Não tivemos facilidade onde eu costumo jogar, entre as linhas, para encontrar os espaços. Futebol é assim, tem a parte da estratégia, que o adversário tentam neutralizar nossa equipe. É seguir trabalhando. Não vejo outra solução”, opinou o capitão do time, Alan Patrick, que teve o desempenho criticado nos dois últimos jogos.

Inter com mudanças no time

Dificilmente, a escalação do jogo de segunda contra o Juventude será a mesma na terça que vem, dia 2, às 19h, na Argentina, contra o Belgrano, pela abertura da fase de grupos da Copa Sul-Americana. Jogadores que não estavam inscritos no Gauchão como Thiago Maia, Fernando, Rafael Borré e Bernabei podem começar a ser mais observados em campo por Coudet.

De acordo com o canal Vozes do Gigante, que acompanha o dia a dia do clube, um possível esboço de time poderá ter: Rochet; Bustos, Vitão, Fernando (Mercado) e Renê; Thiago Maia, Aránguiz, Wanderson e Alan Patrick; Borré e Enner Valencia.

LEIA MAIS NOTÍCIAS:

Ajude o Rio Grande do Sul – Doe pelo PIX – CNPJ: 92.958.800/0001-38

Ajude o Rio Grande do Sul
Chave PIX - CNPJ: 92.958.800/0001-38 Instituição: Banrisul Nome: SOS Rio Grande do Sul

Utilizamos cookies. Aceitar Ler políticas