Barcellos explica por que não paga o Werder Bremen e afirma sobre Borré: “Cabeça já está no Inter”

Alessandro Barcellos detalhou o caso do atacante Rafael Borré em entrevista neste domingo

Publicidade

Em entrevista concedida neste domingo ao jornalista Vagner Martins, no YouTube, o presidente colorado Alessandro Barcellos detalhou por inteiro a negociação e a contratação de Rafael Borré. Segundo o mandatário, o interesse no colombiano “nasceu” em janeiro do ano passado, quando foi feita uma primeira viagem à Alemanha para concretizar a vinda do volante Charles Aránguiz, que estava no Bayer Leverkusen. Na época, tanto Borré quanto Lucas Alario – já contratado e sendo utilizado pelo técnico Eduardo Coudet – defendiam juntos o Frankfurt.

“Em janeiro de 2023, nós fizemos uma viagem à Alemanha para concretizar a vinda do Aránguiz e depois fomos para a Turquia para concretizar o Enner Valencia. Na Alemanha, fomos ao encontro do Borré e do Alario, que estavam no Frankfurt. Falamos do interesse, pesquisamos as condições, mas naquele momento não foi possível. Fui ao jogo do Frankfurt contra o Colônia. Falei com os procuradores dos atletas, mas estava difícil. Era um momento de sondagem, ainda não era algo concreto. Mas, desde então, passamos a monitorar os dois”, afirmou Barcellos, antes de ampliar:

“Eram negociações difíceis, principalmente a do Borré, por envolver pagamento maior e por envolver a questão do empréstimo ao Werder Bremen. Assim que trabalhamos, sempre com a ideia de ter as coisas mais concretas para depois avançar mais. Perdemos outros negócios por limitações financeiras. O mercado está muito competitivo, principalmente com as SAFs. Isso, por óbvio, dificultou mais. Por isso, há a necessidade do sigilo com o jogador e seu representante”.

Barcellos Inter
Barcellos foi à Alemanha fechar com Rafael Borré – Foto: Reprodução/Twitter

Barcellos fala do “fator Werder Bremen”

Segundo Barcellos, o Inter não cogita pagar uma quantia financeira ao Werder Bremen, que mantém Borré por empréstimo até o meio do ano, pelo fato de que o próprio clube alemão não abriu esta possibilidade. O dirigente ressalta que o colombiano segue sendo “profissional”, mas que já está com a cabeça voltada ao colorado:

“Nós sempre deixamos claro. Fizemos uma contratação com o passe adquirido do Frankfurt, mas com a ressalva do empréstimo ao Bremen até o meio do ano. A partir daí, é uma outra negociação. Primeiro, garantimos o jogador em disputa com vários clubes. É um contrato de empréstimo que ele tem e existem prazos, que estão sendo trabalhados. Tivemos sucesso no caso semelhante com o Aránguiz, que assinou um pré-contrato e veio antes. A cada dia, a gente trabalha nisso. Há também a situação do Werder Bremen ter melhorado na tabela e não conseguir contratar outro atacante até o fim da janela. Tudo isso é avaliado. Mas já é garantido que teremos Borré esse ano e que ele vai nos ajudar muito”, afirmou Barcellos, para depois concluir:

“Ele é profissional, está cumprindo o seu contrato. Mas já tem a cabeça pensando no Internacional, pois terá um contrato a cumprir de cinco anos. Mas ele vai obedecer ao comando do clube alemão. Estamos mantendo o diálogo, mas não dá para apontar outra situação agora. O Werder Bremen não estabeleceu valor. Eles têm a prioridade de ter o atleta até o fim da temporada. Até o início de maio, eles entendem que o Borré terá a sua importância até o fim do campeonato. Estamos acompanhando tudo, o Borré não foi titular nos dois últimos jogos e vamos seguir monitorando, mas não se trata de valor, até porque o Bremen não abriu essa discussão conosco”.

Para efetivar a compra do ex-jogador do River Plate, o Inter, do presidente Alessandro Barcellos, desembolsou cerca de 6,2 milhões de euros, que serão pagos de forma parcelada ao Frankfurt. O contrato do atleta irá até 2028 e ele é esperado no Beira-Rio até a “data-limite” de 10 de julho.

Leia mais:

Entre no canal do WhatsApp do Zona Mista e receba notícias do Inter em tempo real. (Clique Aqui)