Renato usa exemplo de outro treinador brasileiro e avalia o seu trabalho no Grêmio: “Muito bom”

Técnico amargou uma derrota no Gre-Nal de sábado pelo Brasileirão

O técnico Renato Portaluppi, apesar das seis derrotas consecutivas no Brasileirão, segue convicto de que realiza um trabalho “muito bom” no Grêmio e que irá conseguir fazer o time reagir em breve. No momento, depois da derrota no Gre-Nal de sábado por 1×0 no Couto Pereira, o tricolor é apenas o 19° colocado com 6 pontos, com campanha melhor que somente o Fluminense.

“Se você pegar meu currículo, ele fala por mim. Ano passado, nessa mesma situação de ‘tem que trocar, ‘tem que mudar’, o Grêmio foi vice-campeão brasileiro. Só não foi o campeão por um detalhezinho, que todo mundo sabe por que”, disse Renato em sua última coletiva.

Veja também:
1 De 6.100

Em agosto, Grêmio e Fluminense duelarão pelas oitavas de final da Libertadores e Renato usou o exemplo de Fernando Diniz na sua última coletiva, lembrando que ele ganhou títulos recentes importantes e que agora “não presta”:

“Quanto ao meu trabalho, ele é muito bom. No Brasil, eu vejo até o Diniz. Há pouco tempo ganhou a Recopa, a Libertadores, e agora não presta. Esse é o problema do Brasil, só é bom quem ganha. A gente não pode ter uma má fase, porque, se tiver má fase, qualquer treinador do Brasil não presta. É a realidade do futebol brasileiro”, finalizou Renato.

VEJA MAIS FALAS DE RENATO APÓS A DERROTA NO GRE-NAL:

RENATO QUER MAIS ALTERNATIVAS NO ELENCO

Me sinto capaz de tirar mais. Se eu não me sentisse, já teria saído. Algumas vezes a gente sente falta de peças. Em um clássico como hoje, ter que botar um zagueiro lá na frente… aí a gente vê a dificuldade. O Diego Costa se machucou, o JP Galvão vem sendo criticado e alguém faria algo diferente do que eu? Eu tinha que buscar alternativas. O jogo é bola na rede. Eu olho pro lado: ou improviso ou continuo com o time. Sem essas peças, você acaba tendo essa série negativa. Mas uma hora isso vai acabar. Eu garanto que vamos sair dessa, mas precisamos acordar

POR QUE RENATO BOTOU RODRIGO ELY DE CENTROAVANTE?

Tem horas que você precisa alguém que saiba cabecear lá. E o Ely faz isso. O Inter colocou mais dois zagueiros. Obviamente iriam se defender. A alternativa era jogar bola na área para ver o que ia dar. Tentei. Para você ver o ponto que cheguei: botei zagueiro de centroavante. Uma coisa é você trocar um jogador pelo outro e errar a substituição. Outra é não ter alternativa. Não estou reclamando do meu grupo, que é muito bom. Bola para frente e pensar nos próximos jogos

LEIA MAIS:

Acesse o canal do nosso WhatsApp e ative o sininho para receber notícias:

Canal WhatsApp - Zona Mista Grêmio
Entre no canal e ative o sininho para receber as notificações

Utilizamos cookies. Aceitar Ler políticas