Ramírez repercute críticas da imprensa e diz que o mesmo aconteceu com Coudet: “Ele tinha números espetaculares”

Treinador espanhol falou o que pensa sobre os questionamentos feitos pela imprensa gaúcha

Publicidade

As críticas feitas por parte da imprensa gaúcha ao seu trabalho não surpreendem em nada o técnico Miguel Ángel Ramírez, que, neste domingo, depois de se sagrar vice do Gauchão com o Inter diante do Grêmio, disse que já esperava receber questionamentos. Em coletiva, ele lembrou que os seus antecessores Eduardo Coudet e Abel Braga também passaram melo mesmo.

LEIA MAIS – Rafinha e Yuri Alberto se estranham, se “prometem” e deixam Gre-Nal expulsos no primeiro tempo; veja a confusão

Sobre Coudet, que hoje treina o Celta de Vigo, da Espanha, Ramírez não poupou elogios ao que vinha construindo no comando do Inter até deixar o cargo em novembro:

“Sei como se lida no país, como atua a imprensa no Sul. Sei como eram os outros técnicos que vieram aqui. Coudet tinha números espetaculares, era líder do Brasileiro, classificado nas outras competições e levava críticas. Abel Braga, com um começo irregular, também. Os anteriores também. Eu tenho claro que vou viver o mesmo que eles. Antes de eu vir, sabia que seria assim. Não me preocupa em nada e seguirei fazendo meu trabalho”, prometeu.

O espanhol quer usar a perda do Gauchão para o Grêmio como forma de “ajudar a entender” o que o seu Inter quer propor em campo:

“Aqui não há tempo para perder. Essa derrota nós tivemos nos ajudaram a entender o que queremos propor. Podemos ganhar ou perder, mas queremos ser fiéis ao que queremos ser. Ao que treinamos. É sempre muito difícil ganhar”, acrescentou.

Confira outras declarações de Ramírez na coletiva de domingo:

Cuesta fora

“Cuesta jogou com infiltração no Paraguai, estava com dores. Não podia repetir isso contra o Grêmio. Não poderíamos perdê-lo para muitos meses. Não queria isso”

Atitudes de Rafinha e Ferreira

“Nenhum dos meus jogadores começou confusão. Rafinha agrediu o Yuri. Depois Ferreira gritou para o nosso banco. Eu quero que minha equipe seja superior no jogo, não na briga e na lábia. Não gosto disso”

Desgaste físico

“Não perdemos o título pelo desgaste físico. Sei que isso serve para todos os times. Mas precisamos sentar em uma mesa para resolver o calendário ou a saúde dos jogadores vai para..”

VEJA MAIS – Rafinha provoca Inter e Yuri Alberto no vestiário após o título do Grêmio:

Entre no canal do WhatsApp do Zona Mista e receba notícias do Inter em tempo real. (Clique Aqui)