Paulo Caleffi revela se votaria em Alberto Guerra nas próximas eleições do Grêmio

Ex-vice de futebol relembrou que o que mais importa em um clube é ser campeão

Publicidade

O ex-vice de futebol do Grêmio, Paulo Caleffi, não descartou a possibilidade de votar no atual presidente Alberto Guerra se o mesmo, no final de 2025, tentar concorrer à reeleição. Em entrevista dada nos últimos dias ao programa “Futebol Alegria do Grêmio”, no YouTube, o antigo dirigente ressaltou que o que mais importa para uma direção é fazer o clube ser vencedor.

“Se o Grêmio for campeão, sim (votar em Guerra). Aí eu acredito que ele cumpriu o papel dele. O que faz a diferença na história do clube? É ser campeão. E nem sempre basta. O nosso caso mais próximo é o presidente Romildo. Eu costumo dizer que, se ele tivesse deixado o cargo ao final de 2018, hoje estaria numa prateleira abaixo do Dr Fábio Koff e junto com o Hélio Dourado. O que faz a diferença é ser campeão”, disse Caleffi, antes de acrescentar:

Veja também:
1 De 5.992

“Ah, mas nós fizemos um excelente trabalho administrativo, superávit. Mas o Grêmio não é uma empresa. Deve ser administrado com responsabilidade de gestão como uma empresa. Mas o torcedor não está preocupado com o resultado financeiro. Estão preocupados em vivenciar o que tivemos em Curitiba na semana passada. Isso é o que faz o clube. O torcedor quer ser campeão”.

Por que Caleffi saiu do Grêmio?

Na metade da temporada de 2023, em meio à indefinição da continuidade de Suárez no clube ou não, o presidente Alberto Guerra decidiu fazer a demissão de Caleffi, promovendo Antônio Brum ao cargo de vice de futebol. Na época, o mandatário fez a seguinte argumentação:

“Queria agradecer ao Paulo Caleffi, que foi um grande parceiro desde o início da campanha e que ajudou na reconstrução do clube. O fato de ter saído não significa que está tudo errado. Não foi pelo atrito com a imprensa que ele saiu. Se fosse por isso, teria saído antes. É um cargo que eu já exerci e sei que é um moedor de carne, de muita pressão. É natural um desalinhamento, acontece. Por vezes, conseguimos superar. Algumas vezes com conversas superamos divergências, mas nos últimos momentos aconteceram outros desalinhamentos e não é apenas a questão da imprensa”, disse Guerra, na época, para depois complementar:

“O ambiente é bom e não existe crise aqui no Grêmio. Mas quando ocorre seguidamente este desalinhamento tem que prevalecer a hierarquia. Nada desmerece o trabalho do Paulo, mas quando acontece um desalinhamento é importante prevalecer a hierarquia”.

MAIS NOTÍCIAS DO GRÊMIO:

Canal WhatsApp - Zona Mista Grêmio
Entre no canal e ative o sininho para receber as notificações

Utilizamos cookies. Aceitar Ler políticas