O que diz Abel Ferreira, técnico do Palmeiras, sobre a paralisação ou não do Brasileirão

Treinador português diz neste momento que a sua opinião é "a opinião do clube"

Publicidade

Depois da derrota de 2×0 para o Athletico na Arena Barueri-SP neste domingo, o técnico do Palmeiras, Abel Ferreira, foi perguntado sobre a paralisação ou não do Brasileirão e disse que a sua opinião “é a opinião do clube”. A direção palmeirense, como mostramos nesta reportagem aqui, acompanha o Flamengo e é contra a interrupção do campeonato neste momento.

“Minha opinião é a opinião do clube. Estou muito solidário ao que está acontecendo. Quem tem cargos tem que tomar decisões, sejam elas boas ou más. Mas mais do que isso, total solidariedade, compreensão, ouvir quem temos que ouvir, é isso que tenho a dizer. E ajudarmos da forma que pudermos. Só peço que pensem na melhor forma de continuar a ajudar essas pessoas. Se a melhor forma for parar, que se pare. Se for continuar, que continue”, opinou o treinador do Palmeiras.

O que diz o Palmeiras?

Em nome do clube, quem falou pelo Palmeiras sobre a situação foi o diretor Anderson Barros, pregando “muito trabalho e dedicação” para a tragédia climática do Rio Grande do Sul ser superada:

“Será que todas aquelas pessoas que dependem do futebol seriam capazes de suportar um período de não futebol? Será que todos os trabalhadores que dependem do que está em torno do futebol seriam capazes de suportar o momento? Tivemos um exemplo recente e sabemos quanto os clubes sofrerem quando pararam. Será que a melhor forma será com a paralisação do futebol? O Palmeiras deu exemplo na pandemia e estamos sempre preocupados com o que representa o futebol para todos. Essa tragédia poderá ser superada só com muito trabalho e dedicação”, comentou Anderson Barros, diretor de futebol palmeirense, em declaração recuperada pelo Globoesporte.com.

LEIA MAIS:

Ajude o Rio Grande do Sul – Doe pelo PIX – CNPJ: 92.958.800/0001-38

Ajude o Rio Grande do Sul
Chave PIX - CNPJ: 92.958.800/0001-38 Instituição: Banrisul Nome: SOS Rio Grande do Sul

Utilizamos cookies. Aceitar Ler políticas