Presidente da FGF se incomoda com novas críticas feitas pelo Grêmio: “Tudo tem limite”

Luciano Hocsman, dirigente da FGF, deu nova entrevista na manhã desta segunda-feira

Publicidade

A Federação Gaúcha de Futebol não está gostando da postura do Grêmio em criticar a arbitragem do campeonato, algo que aconteceu novamente neste sábado, em Caxias do Sul, depois da vitória tricolor por 2×1 pela ida da semifinal do Gauchão. Para o presidente da FGF, Luciano Hocsman (foto), esse tipo de postura já não cabe mais no futebol de hoje em dia.

“Uma hora é arbitragem, outra hora é o dirigente da entidade. Infelizmente, isso ainda faz parte do futebol brasileiro. Estamos em 2024, e esse tipo de conduta não deveria mais acontecer. Erros de arbitragem, com VAR ou sem VAR, ainda vão acontecer porque são seres humanos que operam essa função”, comentou Hocsman, à Rádio Gre-Nal, antes de acrescentar:

“O que eu não posso concordar é quando a coisa parte para o lado de colocar em dúvida a idoneidade, a responsabilidade, a seriedade e a honra daqueles que militam no meio do futebol. Tudo isso tem um limite”, disparou.

Grêmio insinua benefícios ao Inter

No sábado, irritado com a não anulação do gol do Caxias por impedimento, o técnico gremista Renato Portaluppi indicou que o Grêmio vem sendo o único “grande” prejudicado por decisões dos árbitros no estadual. O clube, desde a derrota de 3×2 no Gre-Nal do Beira-Rio, vem fazendo críticas à arbitragem e à organização do campeonato.

“Eu não vou falar de arbitragem, quando eu falo parece que eu só reclamo de arbitragem. Eu considero ele um bom árbitro, mas todo mundo viu. O lance do gol do Caxias, vocês viram. E o VAR chamou. A gente poderia ter saído com uma vantagem maior. Dos grandes, o Grêmio é o único que está sendo prejudicado pela arbitragem. Por enquanto eu estou calado, é assunto do presidente, mas tem mais um jogo pela frente e se a gente passar pra final, aí a gente vai ver”, declarou Renato.

Renato falou depois da vitória do Grêmio
Renato falou depois da vitória do Grêmio – Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Anteriormente, o vice de futebol gremista Antônio Brum chegou a falar que não aceitaria uma derrota “na mão grande”:

“Eu quero deixar bem claro para a torcida do Grêmio que não vão nos tirar o Gauchão na mão grande. Não vão tirar. Talvez não seja interessante um hepta do Grêmio, depois do Novo Hamburgo ter vencido antes dos nossos seis títulos e o Inter há tanto tempo sem ser campeão. O que aconteceu no Gre-Nal foi um escândalo. Eu nunca presenciei uma arbitragem com tantos problemas em um jogo só e isso ligou um alerta”, disse, há algumas semanas.

Inter acompanha tudo de perto

Antes do empate sem gols contra o Juventude no Estádio Alfredo Jaconi, neste domingo, pela ida da semifinal, o presidente colorado Alessandro Barcellos deu coletiva e pediu “atenção” à postura que o Grêmio vem adotando nos bastidores:

“O Inter exige que todos fiquem atentos. Porque campeonatos se decidem dentro de campo, em jogos importantes. A gente manifesta repúdio a essa manifestação (do Grêmio). As instituições do futebol gaúcho precisam estar todas atentas. É inadmissível que a cada rodada se acompanha reclamações da arbitragem, sobre o campeonato, e as coisas continuam como se nada tivesse acontecido. Não é várzea”, declarou o presidente colorado Alessandro Barcellos, neste domingo, em declaração recuperada por GZH.

Há a possibilidade de dois Gre-Nais na final do Gauchão, mas, para isso, o Inter precisará vencer o Juventude em casa na próxima segunda e o Grêmio poderá até empatar com o Caxias, na Arena, no dia seguinte.

Ajude o Rio Grande do Sul – Doe pelo PIX – CNPJ: 92.958.800/0001-38

Ajude o Rio Grande do Sul
Chave PIX - CNPJ: 92.958.800/0001-38 Instituição: Banrisul Nome: SOS Rio Grande do Sul

Utilizamos cookies. Aceitar Ler políticas