fbpx

Na despedida ao Grêmio, Maicon não se arrepende de provocações contra o Inter: “Defendo a minha casa”

Volante deu uma longa coletiva de despedida durante a tarde desta quarta-feira na Arena

Perguntado durante a sua coletiva de despedida ao Grêmio nesta quarta sobre eventual arrependimento pelas provocações ao Inter, tendo em vista o seu número pessoal de vitórias em Gre-Nais, o volante Maicon descartou completamente a possibilidade de até quem sabe pedir “desculpas” pelas brincadeiras. Ele classificou o fato como “natural” do futebol e mostrou certeza de que isso irá continuar.

LEIA MAIS – Jornalista rubro-negro ironiza Grêmio por promessa de não jogar com torcida: “Vale tudo para evitar nova goleada”

E lembrou, ao mesmo tempo, que os jogadores do Inter também agiram dessa maneira nas vezes que venceram os clássicos.

“As minhas desculpas são para dentro do clube. Se alguma vez eu passei do ponto. Peço para as pessoas que conviviam comigo. Sobre provocações em clássicos, isso faz parte do futebol. Saio do Grêmio, mas tem outros jogadores aqui que vão fazer. E do lado deles, quando ganharem, também vão fazer. Respeito todos os profissionais de todas as equipes, mas a que eu defendo eu vou lutar sempre. Aqui é minha casa”, disse o jogador.

Maicon, em 2018, viralizou em uma entrevista dias depois da derrota de 1×0 no Gre-Nal do Beira-Rio, pelo Brasileirão, ao se perguntar “quem” era Rodrigo Dourado. Após este clássico, o volante colorado havia indicado que Maicon teria “fugido” do jogo – o então camisa 8 gremista foi preservado por Renato Portaluppi por desconforto muscular.

Mais recentemente, em 2020, após fazer gol na vitória de 2×0 do Grêmio pelo Gre-Nal decisivo do segundo turno do Gauchão, na Arena, Maicon também tirou onda no vestiário sobre o tal apelido de “cavalo cansado” dado pelo jornalista colorado Fabiano Baldasso a ele. O próprio presidente Romildo Bolzan relembrou este fato na coletiva desta quarta.

Confira outros temas abordados por Maicon em sua coletiva:

Ajudar o elenco do Grêmio até o fim do ano:

“Me desligar do Grêmio, nunca mais vai acontecer. Não tem como. Vou voltar para o Rio de Janeiro, na minha casa. Mas vou pedir para, até o fim do ano, ficar no grupo do WhatsApp. Quem sabe ajudar com um comentário, um áudio. Vou ver todos os jogos e seguir torcendo. Eu joguei apenas quatro jogos do Brasileiro. Isso me incomodava muito. Eu vou seguir mandando mensagens para os caras. Me desligar do Grêmio nunca mais, não tem como, impossível”

Pedido de desculpas ao árbitro Ricardo Marques Ribeiro:

“Eu queria pedir desculpa ao Ricardo (Marques Ribeiro). Me excedi demais. Pedir desculpa ao Fábio Santos, ao Cássio e a outros jogadores do Corinthians que me seguraram. Eu passei do ponto naquele momento.

Momento que gostaria de reviver:

“Um momento que eu queria viver de novo era o título da Libertadores. Até não estive em campo, mas a chegada em Porto Alegre, o jeito que foi, aquilo eu vi que a nossa torcida era muito diferente. Em 2015, eu cheguei em um sábado, em um Grêmio x Caxias, estávamos em 8° no Gauchão eu acho e tinha 25 mil pessoas na Arena. Eu vi que aqui era o lugar certo para eu jogar. Sabia que logo ali teria um estádio com 60 mil nos apoiando”

Gostou do site? Então deixe sua curtida:

Publicidade

Utilizamos cookies. Aceitar Ler políticas