Jorge Wagner mantém até hoje uma lamentação com a camisa colorada e opina sobre Inter x Bahia no domingo

Ex-meia e lateral-esquerdo foi peça fundamental do Inter entre as temporadas de 2005 e 2006

Peça decisiva nos times do Inter montados em 2005 e 2006, além de até hoje ser reconhecido pela qualidade que tinha na bola parada, Jorge Wagner voltou a falar sobre o colorado em entrevista na última quarta-feira à Rádio Gre-Nal e mostrou manter uma lamentação daquele período: não ter ficado para disputar o Mundial de Clubes em 2006.

Logo depois da conquista da Libertadores sobre o São Paulo, Jorge Wagner partiu para jogar no Betis, da Espanha e já não estava mais no elenco na disputa do Japão. O então técnico Abel Braga levou Rubens Cardoso e Hidalgo para enfrentar o Al-Ahly e depois o Barcelona.

“Fizemos uma campanha brilhante naquela competição. Toda a trajetória naquela Libertadores foi brilhante. O título de 2006 foi muito marcante. Pra mim, foi um sentimento muito triste não ter participado do Mundial de 2006”, admitiu.

Baiano de Feira de Santana, Jorge, que hoje é empresário do ramo do futebol, iniciou a sua carreira no Bahia, que desafia o Inter no Beira-Rio neste domingo, às 16h, pelo Brasileirão.

“Tenho acompanhado o Inter e o Bahia. É um clássico de dois clubes grandes. Vivem momentos distintos. No domingo vou estar acompanhando, tenho carinho muito grande pelas duas equipes”, acrescentou o ex-jogador.

Em termos de tabela de classificação do Brasileirão neste momento, o Inter é o 7° colocado com 29 pontos, enquanto o Bahia é o 15° com 23.

  • Clique aqui para entrar no grupo do TELEGRAM para acompanhar as notícias do Inter
  • Clique aqui para entrar no grupo 11 para acompanhar as notícias do Inter.
  • Clique aqui para entrar no grupo 20 para acompanhar as notícias do Inter.