Guerrero escreve longo recado a D’Alessandro e confessa: “Saiba que te aprecio muito, te respeito muito”

Os dois jogadores já não atuarão mais juntos vestindo a camiseta do Internacional

Publicidade

Assim que D’Alessandro postou no Instagram a sua despedida ao Inter, clube que defenderá apenas até dia 31 de dezembro, o centroavante Paolo Guerrero surgiu nos comentários da publicação para dar muita moral e admiração ao argentino, com quem não atuará mais pelo colorado.

Isso porque Guerrero segue a sua recuperação da grave lesão no joelho e só deve voltar entre o final de fevereiro e março. Para o camisa 9, D’Ale é uma inspiração para os demais jogadores:

“Velho D’Ale, você não pode nos abandonar, sua qualidade, sua liderança, sua força, profissionalismo e eu poderia dizer muitas outras coisas que mais sentiria falta em você, há muitas pessoas que refletem sobre você, se inspiram em você (eu sou um deles) para continuar trabalhando e fazendo o que mais gostamos. Mas estaremos em todos os momentos, sejam eles bons ou ruins. Sabe que te aprecio muito, te respeito muito e acredite que a cada dia você me ensina muitas coisas. Sou seu velho fã”, postou o peruano.

VEJA MAIS – D’Alessandro embarga a voz e se emociona em vídeo de despedida à torcida do Inter

Confira as principais aspas de D’Alessandro na sua coletiva de despedida:

RELAÇÃO COM COUDET:

“O que sei é que para o Celta de Vigo eu não vou (risos). O Coudet continua a ser meu amigo, mas respeito as decisões. A nossa amizade sempre ficou fora do campo e do dia a dia do clube. Eu gostaria de ter sido mais aproveitado, isso sim. Sempre fiquei à disposição até porque eu preciso respeitar primeiro o clube e depois os meus colegas. Ficar tanto tempo não me dá direito de passar da linha. Volto a repetir: gostaria de ter sido mais aproveitado porque me sentia pronto”

ELOGIOS A ABEL BRAGA:

“A minha motivação é a mesma. Vou fazer tudo que o técnico precisar. Aqui eu agradeço o Abel Braga por ter vindo. Um dos mais vitoriosos da história do clube. Não precisava ter voltado para dar uma força pro clube. Poderia ter ficado no Rio de Janeiro descansando com a sua família, com a sua mulher. Todos nós sabemos da tragédia pessoal que ele teve. Mas ele veio para ajudar”

CLUBE UNIDO:

“Eu senti nesses 12 anos que nem todo mundo é colorado. Que nem todo mundo quer o bem do clube. Eu conheci muitas pessoas. Nem tudo que parece ser é o que é. Gostaria de um clube mais unido e sem tanta falta de respeito”

CRÍTICAS A ESPECÍFICO TORCEDOR:

“Ontem eu recebi um tuíte de um torcedor, parece que é candidato a conselheiro do Inter, Luciano Pontes: “Esse gringo 171 que só se arrasta em campo”. Ele pode não gostar do meu futebol. Mas ele tem que respeitar o meu caráter e a minha índole. Eu nunca desrespeitei ele. O Twitter é o lugar dos covardes e continua sendo”

DECISÃO NÃO MUDARIA SE COUDET CONTINUASSE:

“O passo mais difícil é me desligar do clube. Não é uma decisão de cabeça quente, não é ter ficado fora da Copa do Brasil, não é a saída do treinador. Mesmo se ele tivesse a frente do grupo eu teria tomado essa decisão”

ERA O MOMENTO DE ANUNCIAR?

“Eu pensei em tudo. Nunca vai ter um melhor momento. Eu gostaria estar aqui anunciando que vou encerrar minha carreira no clube. Mas não vai ser isso. Acho que não seria bom anunciar depois da primeira partida contra o Boca, ou depois da segunda, por causa do resultado que tiver. A partida com o Boca será importantíssima com uma das equipes mais fortes da América. Apesar dos últimos resultados, eles vêm em uma situação parecida com a nossa. Mas Libertadores é diferente. Enfrentaremos como uma final”

CONTATO COM O ELENCO

“Eu vou falar hoje com o grupo porque eles precisam saber e eu sempre fui um cara esclarecido. Preciso falar com o meu grupo. Vai ser muito difícil falar com eles e com os funcionários”.

RENATO, JORNALISTA COLORADO E INFLUENCERS

“Tem muita coisa que eu não gosto do Renato (Portaluppi), mas quando ele fala, muitos ficam com medo, se calam. Renato, vou concordar contigo. Eles querem destruir grupo, gestão, jogadores. Eu sou mais colorado que eles. Eu lembro muito bem de uma capa de jornal em 2009, feita por jornalistas que não merecem meu respeito. A capa foi o meu salário: o que eu ganhava por ano, mês, dia, minuto e segundo. Um deles disse ser muito colorado. Esse cara trabalhou aqui. Não trabalha mais, e agora voltou a bater no time (…) formador de opinião não é um cara que grava vídeo no YouTube. Ele não pode falar “esse cara é um burro”, como eu ouvi. Ninguém que joga aqui 12 anos é burro. Vocês estudam para ser jornalistas, não posso chamar vocês de burros”

Entre no canal do WhatsApp do Zona Mista e receba notícias do Inter em tempo real. (Clique Aqui)