Baldasso sai em defesa de jornalistas criticados por D’Alessandro: “Ele está errado, foram matérias normais”

Comunicador colorado deu o seu ponto de vista em live realizada durante a noite no YouTube

Publicidade

Através do seu canal do YouTube em live durante a noite desta segunda-feira, o jornalista colorado Fabiano Baldasso avaliou as fortes críticas feitas por Andrés D’Alessandro a membros da imprensa durante a coletiva e saiu em defesa dos dois comunicadores citados de forma mais ríspida pelo jogador.

A crítica de D’Ale a jornalistas que, no passado, escreveram matérias em “um grande jornal” comparando o seu salário com o número de jogos em determinada temporada foi entendida como “errada” por Baldasso, que defendeu os colegas Alexandre Ernst e Leandro Behs, do canal Vozes do Gigante.

Durante o dia, circulou na web o print das matérias que D’Alessandro fazia referência. Ernst era setorista do Inter e assinou a seguinte reportagem no jornal Zero Hora em outubro de 2012:

Behs também tem matéria assinada sobre a reta final da temporada do Inter de 2009 e possíveis cortes:

“Muita gente achou que o D’Alessandro se referia a mim na entrevista. Talvez naquele segundo momento que ele fala dos “influencers colorados” eu possa estar no bolo. Antes não. Ele estava se referindo ao Alexandre Ernst e ao Leandro Behs, do Vozes do Gigante. Hoje durante o dia rolaram vários prints das matérias feitas por eles em Zero Hora. Eu nunca fiz matéria pra Zero Hora. Mas eles estavam certos. Eram matérias jornalísticas e o D’Alessandro está errado. Não tem motivo para reclamar dessas matérias, são normais. Estou me posicionando, não tenho medo de me posicionar”, declarou Baldasso.

Em seguida, o comunicador lamenta que Ernst e Behs não tenham saído em sua defesa quando vazou o contrato de trabalho que mantinha com o Inter:

“Eu conheço ambos há muito tempo. Eu e o Behs começamos a trabalhar juntos em meados da década de 90. Essa postura que eu estou tendo aqui era o que eu esperava que eles tivessem quando vazou o meu contrato com o Inter, que deixou em risco a minha própria família. Estou fazendo o que vocês não fizeram por mim. Mas ficaram em silêncio no canal”, concluiu.

O que disse D’Alessandro?

Os rumores e dúvidas sobre quem seriam os alvos de D’Alessandro se deram pelo simples fato de que o argentino não citou nomes, tirando o do técnico gremista Renato Portaluppi, que ganhou elogios pela forma como lida com a imprensa:

“Tem muita coisa que eu não gosto do Renato (Portaluppi), mas quando ele fala, muitos ficam com medo, se calam. Renato, vou concordar contigo. Eles querem destruir grupo, gestão, jogadores. Eu sou mais colorado que eles”, declarou D’Ale, antes de terminar:

“Eu lembro muito bem de uma capa de jornal em 2009, feita por jornalistas que não merecem meu respeito. A capa foi o meu salário: o que eu ganhava por ano, mês, dia, minuto e segundo. Um deles disse ser muito colorado. Esse cara trabalhou aqui. Não trabalha mais, e agora voltou a bater no time (…) formador de opinião não é um cara que grava vídeo no YouTube. Ele não pode falar “esse cara é um burro”, como eu ouvi. Ninguém que joga aqui 12 anos é burro. Vocês estudam para ser jornalistas, não posso chamar vocês de burros”.

D’Alessandro ficará no Inter apenas até o dia 31 de dezembro, que é quando encerra o seu contrato. Em 2021, quando fará 40 anos, irá vestir a camisa de algum outro clube.

MAIS – D’Alessandro embarga a voz e se emociona em vídeo de despedida à torcida do Inter:

Utilizamos cookies. Aceitar Ler políticas