Grêmio valoriza esforço e estabelece plano envolvendo Luan na retomada do Brasileirão

Atacante gremista teve poucos minutos até agora desde o seu retorno

Faltando 12 jogos para o término do Brasileirão, o Grêmio, que mira assegurar uma vaga direta na Libertadores, considera dar mais minutos em campo para Luan mostrar serviço até o fim do ano. O jogador ainda não foi titular desde o seu retorno ao clube e ficou, por exemplo, o tempo todo no banco contra o Inter no Gre-Nal de domingo passado, no Beira-Rio.

Por conta da parada da Data-Fifa, o Grêmio deu folga aos seus atletas de segunda a quinta-feira, mas Luan, assim como Galdino, decidiu abrir mão do período para treinar no CT. A atitude foi muito bem avaliada internamente na Arena, como prova de comprometimento do camisa 7 em querer melhorar e ajudar.

Veja também:
1 De 6.111

O clube entende que também precisa ver Luan mais vezes em campo para tomar uma decisão envolvendo o seu futuro. O jogador, com redução salarial em relação ao que ganhava no Corinthians, assinou apenas até dezembro deste ano com o Grêmio.

O que diz o presidente do Grêmio sobre Luan

Em recente entrevista à RDCTV, o presidente Alberto Guerra disse que a situação de Luan é a mesma dos outros jogadores e que todos seguem em “reavaliação constante”. O mandatário lembrou que ainda há muito campeonato a ser disputado:

“Não só ao Luan, mas a todos. A gente está em setembro e a reavaliação é constante. Jogo a jogo vamos avaliando os jogadores e nosso desempenho. A gente tem 90% focado na atual competição. Eu não posso pensar muito em 2024, eu não sei se estarei na Libertadores ou na Sul-Americana. O Luan se enquadra nesta definição. Chegou há pouco e temos mais dois meses de competição forte. Vamos avaliar e saber se é bom para ele, para o Grêmio e para as partes esta renovação”, disse Guerra, na ocasião.

Acesse o canal do nosso WhatsApp e ative o sininho para receber notícias:

Canal WhatsApp - Zona Mista Grêmio
Entre no canal e ative o sininho para receber as notificações

Utilizamos cookies. Aceitar Ler políticas