Grêmio se movimenta nos bastidores e encerra “novela Bitello” após críticas do Cascavel

Clube paranaense vinha cobrando insistentemente a sua parte da venda de Bitello

Publicidade

Nas últimas horas, o Grêmio encerrou de uma vez por todas a polêmica envolvendo a venda do meia Bitello e enviou ao clube formador, o Cascavel, o seu valor de direito pela negociação do jogador ao Dínamo Moscou. Titular gremista entre as temporadas de 2022 e 2023, o atleta saiu na última janela de transferências por uma quantia de cerca de 10 milhões de euros. As informações são da Rádio Bandeirantes.

Deste montante, 70% é do Grêmio e os outros 30% estavam previstos para entrar na conta do Cascavel, que reclamava da direção gremista exatamente da ausência deste pagamento. No começo da semana, o clube paranaense soltou uma dura nota contra o time gaúcho:

Veja também:
1 De 5.982

“É difícil de acreditar que o Grêmio, um clube centenário, apropriou-se e utilizou-se indevidamente de valores do Cascavel e, mesmo após citado, sequer apresentou uma justificativa plausível. Pelo contrário, alegou que não precisa sofrer qualquer tipo de bloqueio por tratar-se de um clube sólido e tradicional… mas, desde quando “nome” paga contas?”, reclamou o Cascavel em um trecho do comunicado.

https://twitter.com/BandeirantesPOA/status/1737571493788213571

Grêmio tem outra dívida pendente

Além do Cascavel, que vinha reclamando dos valores de Bitello, o Foz do Iguaçu segue cobrando o Grêmio pela sua parte na venda de Pepê, ao Porto, ainda em 2021.

Canal WhatsApp - Zona Mista Grêmio
Entre no canal e ative o sininho para receber as notificações

Utilizamos cookies. Aceitar Ler políticas