Grêmio confirma que Inter recusou Gre-Nal em campo neutro: “Cada um por si”

Direção gremista se manifestou antes da partida contra o Bragantino pelo Brasileirão

Publicidade

Antes da partida contra o Bragantino neste sábado, no Couto Pereira, na retomada do Brasileirão, o Grêmio confirmou que o Inter não aceitou a proposta de realizar os dois Gre-Nais do campeonato em “campo neutro”. O primeiro já será no dia 23 de junho, um domingo, às 16h, com mando gremista, que ainda não poderá utilizar a Arena por conta da enchente no Rio Grande do Sul.

Em entrevista, o presidente gremista Alberto Guerra deixou claro o seu descontentamento com a postura do rival. E lamentou ao dizer que, agora, “é cada um por si”:

Veja também:
1 De 6.005

“Conversei com o presidente do Inter, até para darmos exemplo. Algo acima do futebol. Os valores do nosso Conselho de Administração estão consonantes com nossas atitudes. Mas não foi só o Inter que não quis. Outros clubes também não quiseram. É cada um por si na questão desportiva, infelizmente. Respeitamos as opiniões e agora é pensar no melhor para o Grêmio”, disse Guerra, em declaração recuperada por GZH, antes de ampliar:

“Tem uma lógica para não viajar de muito longe. Mas a pior logística é dos clubes do Ceará no Brasileirão. Reconheço isso. O jogo contra o Grêmio seria o único em casa. É muita ponta para amarrar. Estamos tentando atender todas essas variáveis”.

Grêmio tem estádio “favorito”

Pelo desgaste de jogos imposto pelo calendário, o Grêmio se preocupa com a condição física e descanso dos jogadores, que não estão com o ritmo ideal por conta da longa parada. Por isso, o estado do Ceará surge como alternativa para o Gre-Nal. Isso porque o clube já estará no local para o duelo do dia 19, fora, contra o Fortaleza. Assim, poderia permanecer em território cearense para fazer o Gre-Nal, que poderia ir para o Estádio Presidente Vargas, o PV.

MAIS NOTÍCIAS:

Canal WhatsApp - Zona Mista Grêmio
Entre no canal e ative o sininho para receber as notificações

Utilizamos cookies. Aceitar Ler políticas