fbpx

Falcão discorda da demora do Inter em anunciar novo treinador e opina: “Convicção anda junto com teimosia”

Ídolo histórico do Inter concedeu entrevista nesta quinta-feira ao programa Sala de Redação

Entrevistado pelo programa Sala de Redação, da Rádio Gaúcha, nesta quinta-feira, o ex-jogador e treinador colorado, considerado uma das lendas do clube, Paulo Roberto Falcão, discordou da demora do Inter em anunciar um novo comandante – nesta sexta, será completada uma semana desde a demissão de Miguel Ángel Ramírez.

LEIA MAIS – Saraiva entende que Marco Silva não é solução para o Inter e critica “entrevistas” com candidatos: “Pensamento moderninho”

Falcão, que não quis individualizar a crítica ao Inter, falou de forma geral que muitas vezes, no futebol, a “convicção” se torna irmã gêmea da “teimosia”:

“Essa demora não traz benefício ao jogador. Não é legal. Os jogadores são rápidos de raciocínio. Em uma conversa, os atletas sabem se vão abraçar ou não. Eu sempre tive cuidado com a palavra convicção. Tem outra que caminha grudada: teimosia. São quase irmãs gêmeas. A teimosia é ruim se você não tem os resultados. E a convicção passa a ser ruim se vira teimosia”, declarou o ex-atleta.

A última informação é de que o Centro de Análise de dados do Inter, o CAPA, apresentou 12 nomes de técnicos a serem avaliados pela direção. Para Falcão, a presença de dados e estatísticas no futebol é importante, mas precisa ser interpretada de forma ampla:

“A ciência de dados tem na Inglaterra e nos Estados Unidos há 150 anos. Já fizeram até filme sobre isso. Claro que é ferramenta importante. O que pode agregar é importante. Tem uma palestra do Bernardinho, do vôlei, que trata da questão do Tom Brady, marido da Gisele. Quando ele foi escolhido uma vez, entrou como um dos últimos de uma seletiva de 200 jogadores. E depois fez o sucesso todo. A ciência de dados olha de dentro pra fora, e não de fora pra dentro. Se você vai 10 vezes na linha de fundo e acerta dois cruzamentos, isso é um dado. E vou pra informação. E terei que ter capacidade, inteligência e experiência para entender o erro dos outros oito. Mas se ele cruzou oito e não saiu gol, aí terei que arrumar alguém para fazer o gol”, disse, antes de acrescentar:

“O Inter tem muitos profissionais competentes. O Carravetta, o Deive Bandeira, mas o importante é saber quem você está contratando. Não apenas o treinador. O preparador físico, o analista de sistema, ter a capacidade de entender os riscos de lesão dos jogadores. A essência do futebol não mudou”.

Gostou do site? Então deixe sua curtida:

Publicidade

Utilizamos cookies. Aceitar Ler políticas