fbpx

Ex-dirigente do Grêmio não se empolga com nome de Borja e chama a atenção para a postura do Palmeiras

Centroavante colombiano de 28 anos de idade está perto de ser o primeiro reforço da era Felipão

Velho conhecido do técnico Luiz Felipe Scolari, o Felipão, com quem trabalhou no Palmeiras entre 2018 e 2019, o colombiano Miguel Borja não é um nome que empolgue o ex-vice de futebol do Grêmio, Odorico Roman. No Twitter, o antigo dirigente chamou a atenção para a postura do time paulista e mostrou certa cautela sobre a contratação.

LEIA MAIS – Dirigente do Grêmio cita atacante “encaminhado” e explica relação entre superávit e dificuldade para contratar

Para Roman, é de se destacar o fato de que o Palmeiras, mais uma vez, sequer pensa em manter o jogador no elenco, mostrando até certo esforço em cedê-lo a outro clube.

“Espero que tenham sido bem investigados os motivos do Palmeiras estar há muito querendo repassar o atleta”, postou Roman na rede social.

Confira a publicação:

Depois da derrota de 1×0 no sábado fora de casa para o Bragantino, pelo Brasileirão, Felipão despistou mesmo sendo perguntado nominalmente sobre a situação de Borja:

“Nós solicitamos contratações de A, B e C, e vamos esperar que as contratações possam surgir e aí, quando surgirem, elas serão anunciadas a vocês”, declarou.

Borja jogou os últimos 18 meses da carreira no Junior Barranquila, da Colômbia, que não chegou aos patamares financeiros pretendidos pelo Palmeiras para a compra em definitivo. No Grêmio, o salário seria de cerca de R$ 450 mil com um pagamento de R$ 6 milhões ao alviverde pelo empréstimo até dezembro de 2022.

Gostou do site? Então deixe sua curtida:

Publicidade

Utilizamos cookies. Aceitar Ler políticas