Direção do Grêmio dá apoio a Renato e diz que decisão de fechar portões do CT é “conjunta”

Antônio Brum, atual vice de futebol, se manifestou durante o último sábado

Publicidade

Insatisfeito com os “gênios do ar-condicionado” da imprensa, o técnico Renato Portaluppi anunciou neste sábado, depois da vitória de 4×1 do Grêmio sobre o Guarany, na Arena, que, “até segunda ordem”, irá fechar os portões do CT Luiz Carvalho para impedir o acesso da imprensa. A decisão também é da direção do clube, que tratou o caso de maneira “conjunta”:

“O Renato respeita e sempre respeitou hierarquia. Temos facilidade de trabalhar com ele. A decisão de fechar o CT é conjunta, não apenas dele. Sobre a Recopa, foi uma decisão conjunta em que achamos melhor não levá-lo para lá para que ele pudesse entrosar os novos jogadores visando a continuidade da temporada”, afirmou o vice de futebol Antônio Brum.

Renato deu a entender que quem mais lhe incomoda são os comentaristas e os comunicadores que ficam no estúdio, não os repórteres e os setoristas do dia a dia. O treinador, porém, evitou citar nomes na coletiva dada durante o sábado.

“Quando se trata do nome de Renato, as pessoas querem aparecer. Óbvio. Tem gente apaixonada por mim, porque, vira e mexe, falam no meu nome. E querem pegar pesado. É paixão, só pode. Já estava definido há um bom tempo que eu não viajaria. Foi combinado com o presidente. As pessoas têm mania de dizer que eu mando no Grêmio. Perguntem para o ex-presidente e para o atual se eu faço alguma coisa sem falar com eles. Aqui dentro tem gente inteligente, que pensa e que não pega o microfone só para criticar”, declarou Renato sobre a sua ausência contra o São Luiz, em Ijuí.

Grêmio encara o Brasil de Pelotas

Aguardando a Federação Gaúcha de Futebol definir as datas, o Grêmio já sabe que vai enfrentar o Brasil de Pelotas, na Arena, em jogo único pelas quartas de final do Gauchão. Por ter feito campanha melhor, o tricolor joga pelo empate.

Leia mais: