Colega de Cavani no Manchester United, Alex Telles revela ter tido conversa com o uruguaio sobre o Grêmio

Lateral-esquerdo conversou com o centroavante sobre o sonho da torcida gremista em tê-lo em 2020

Não foi apenas especulação de imprensa a novela Cavani no Grêmio, que ganhou um bom espaço nos jornais durante a última temporada assim que o jogador decidiu deixar o PSG. Segundo Alex Telles, que atualmente também defende o Manchester United, o uruguaio soube, sim, do interesse gremista em tê-lo, mas que as conversas não passaram do seu irmão e empresário.

LEIA MAIS – Alex Telles recorda brincadeiras com Geromel e agradece Luxemburgo por início no Grêmio: “Tirou o peso”

Em entrevista concedida ao jornalista Duda Garbi, no YouTube, o lateral-esquerdo brasileiro disse ter tido uma conversa com Cavani e que, nela, perguntou qual foi a “real” da história envolvendo o Grêmio:

“Eu recebi um monte de mensagem de amigos meus gremistas pedindo “por favor” pra eu perguntar pro Cavani se ele viria ou não. E eu falei pra ele que eu era do Rio Grande do Sul, que eu sou gremista e perguntei o que teve. Ele riu e disse que chegou até o irmão dele o interesse do Grêmio. Mas parou no irmão dele e não chegou até o próprio Cavani. Mas ele sabe (do Grêmio), sim. Até falei que ele deveria ter ido”, disse Telles.

Veja no trecho abaixo:

Na época, um outro clube sul-americano interessado em Cavani era o Boca Juniors, da Argentina, mas falou mais alto o desejo do uruguaio em permanecer no futebol da Europa. Assim, disse “sim” à proposta do Manchester United em sua primeira aventura na Inglaterra na carreira.

Confira outras falas de Alex Telles sobre o Grêmio na entrevista ao jornalista Duda Garbi:

“No ano que eu saí, eu lembro que o Luan subiu do time júnior para o profissional e que o Geromel chegou. Até lembro que brincavam com o Geromel, que tinha nome de remédio, mas aí está a resposta. Foi um baita remédio para o Grêmio (risos). Chegou com quase 30 anos no clube e antes os caras gostavam muito dele lá fora”
.
“Grêmio é o clube que me abriu as portas pro cenário nacional e mundial. Eu tinha 20 anos. Acho que a “faísca” para eu guardar a posição foi o pênalti contra a LDU. Eu e o Bressan lançados pelo Luxa. Um mês antes estávamos jogando a Copa RS pelo Juventude contra o Brasil de Pelotas lá no Bento Freitas. E o Luxa antes desse jogo da LDU falou: “Hoje a palestra não é para todos, é para esses dois que estão chegando agora e eu quero que vocês joguem, fiquem à vontade, porque estão aqui por merecimento”. E aí tirou um peso das nossas costas”

  • Clique aqui para entrar no grupo 15 para acompanhar as notícias do Grêmio.
  • Clique aqui para entrar no grupo 28 para acompanhar as notícias do Grêmio.