Dirigente do Caxias explica confusão contra o Grêmio e reclama da atuação da arbitragem

Time da serra gaúcha venceu pelo placar de 2x1 dentro de sua casa

Publicidade

Atual vice-presidente de futebol do Caxias, Paulo Cesar Santos deu a sua versão sobre a confusão envolvendo funcionários, staff e jogadores reservas do Grêmio no final da partida deste sábado, no Centenário, que terminou com vitória dos mandantes de virada por 2×1. Tudo aconteceu quando os suplentes gremistas faziam um trabalho de corrida e de ativação muscular dentro do gramado.

Membros do staff do Caxias se aproximaram para impedir a realização desta atividade e os ânimos chegaram a esquentar, mas em seguida foram controlados. É comum que os jogadores reservas façam esse trabalho logo após o término de cada partida.

“A gente faz um trabalho muito grande no gramado. Tivemos um trabalho atrasado junto com a Federação. Temos um cuidado muito grande com o palco do nosso espetáculo. Era um trabalho de tração, que a gente não concordava, mas tudo foi resolvido. Águas passadas. O que importa é olhar para frente e para o futebol. Olhar para esse grande jogo”, explicou Paulo Cesar.

Caxias critica arbitragem do jogo contra o Grêmio

Mesmo com a vitória na primeira rodada do Gauchão, o Caxias não deixou de pontuar críticas à arbitragem de Rafael Klein. A principal crítica foi um pênalti não dado de Rodrigo Ely em Álvaro, algo que virou até provocação nas redes sociais do time da serra gaúcha.

“Eu entendo que tem que ser avaliado. Eu torço muito por esse árbitro. Ele vai crescer muito na carreira, mas hoje cometeu erros que não devem ser cometidos. O Vuaden vai olhar. Ele se comprometeu a ter esse olhar criterioso com seus comandados. Espero que a arbitragem evolua mais. Hoje teve problemas, e vocês da imprensa sabem quais foram”, finalizou.

Entre no canal do WhatsApp do Zona Mista e receba notícias do Grêmio em tempo real. (Clique Aqui)