fbpx

Bolzan fala em “soberba” do Flamengo, abre o jogo sobre situação de Campaz e defende Douglas Costa: “Vamos dar tempo”

Presidente gremista concedeu longa entrevista nesta tarde de quinta-feira à Rádio Gre-Nal

No dia seguinte à derrota de 2×0 para o Flamengo com torcida no Maracanã, custando a permanência do Grêmio na Copa do Brasil, o presidente tricolor Romildo Bolzan Jr manteve o tom crítico à postura do time carioca em, baseado numa liminar, mandar público para o jogo. Horas depois do fim da partida, o STJD suspendeu a liminar e o Fla já não terá torcida domingo, 20h30, contra o próprio Grêmio, pelo Brasileirão.

LEIA MAIS – Sarará agrada e pode ganhar mais oportunidades de Felipão; Everton segue bem cotado com o técnico

Para Bolzan, conforme entrevista dada à Rádio Gre-Nal, o Flamengo se mostrou egoísta em uma atitude “soberba”, sem pensar no “coletivo” dos demais clubes:

“Como não teve decisão até 2h da manhã sobre a torcida, a minha permanência no Rio teve a finalidade de acompanhar de perto. Temos um dia para a delegação retornar para cá. Houve a necessidade. Situação resolvida a partir da decisão do STJD. Vamos combinar que tudo isso foi um hiato de mediocridade intelectual do futebol brasileiro. O STJD teve uma decisão não-desportiva, ultrapassando suas razões de decidir. Fez uma situação sanitária sem entender que o regulamento já havia um acordo entre os clubes. Foi um equívoco tremendo e agora se fez uma retificação de tudo isso. Se tivéssemos torcida no jogo de ida, haveria sintonia. O correto é aquilo que os 20 clubes decidiram no sentido de isonomia e equilíbrio. O Flamengo cometeu um ato soberbo, de soberania, de cultura de clube que não está no âmbito coletivo dos clubes. O resultado será mostrado logo ali na frente”, explicou o presidente.

Bolzan fala de Campaz

Pelo segundo jogo consecutivo, o meia-atacante colombiano Jaminton Campaz não saiu do banco de reservas, algo que vem gerando certa surpresa na torcida gremista até pelo investimento feito em sua contratação: algo na ordem de R$ 21 milhões junto ao Tolima, da Colômbia.

Bolzan garantiu veementemente que não existe nenhum tipo de “punição” do clube por eventuais excessos fora de campo e que apenas se trata de um momento de adaptação para o atleta de 21 anos – Felipão, por sua vez, chegou a lembrar que ele é “muito novinho“.

“Por favor, nada disso. É uma questão técnica. Ele chegou e jogou contra o Flamengo. Nitidamente se verifica um choque de método de trabalho. Tentou colaborar naquele momento. Agora, ele precisa se adaptar à metodologia e forma do Grêmio. Investimos fortemente nele e acreditamos em seu sucesso. Vamos dar o tempo para ele ter a capacidade de jogar. Escrevam o que eu estou dizendo: será um grande jogador do futebol gaúcho, brasileiro e sul-americano. O Grêmio trabalha no sentido de dar tempo neste contexto”, declarou Bolzan.

Campaz
Campaz segue buscando o melhor ritmo no novo clube – Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Confiança mantida em Douglas Costa

Ainda finalizando o seu processo de recuperação de lesão muscular na coxa, Douglas Costa segue totalmente respaldado pelo presidente do Grêmio, que, além de manter o rótulo de “craque” ao citar o camisa 10, entende que ainda é preciso dar o devido tempo:

“Conta de chegada é uma coisa, conta de final é outra. Tu não avalia uma situação de desempenho se não for uma conta de evolução. E isso não vem de um mês ou dois meses. Douglas Costa é um craque e não se tem dúvida disso. Vamos dar tempo de ele se adaptar, de se organizar. Quantos jogadores a gente já viu iniciarem bem e depois ruírem? Nós vamos organizar e no final das contas ver que foi uma medida acertada. Não é de uma hora para outra”, sublinhou o mandatário.

Segundo adiantou Felipão nesta quarta-feira, Douglas Costa ainda não estará disponível para o jogo de domingo diante do Flamengo.

Gostou do site? Então deixe sua curtida:

Publicidade

Utilizamos cookies. Aceitar Ler políticas