Bolzan explica promessa feita a Koff e garante que não vai deixar o Grêmio para concorrer em 2022

Presidente gremista Romildo Bolzan Jr voltou a tocar no importante tema nesta semana

Por mais que este assunto volte à pauta com alguma frequência, o presidente gremista Romildo Bolzan Jr se mantém categórico em afirmar que não vai deixar o Grêmio para concorrer ao Governo do Rio Grande do Sul nas eleições de 2022. A garantia foi dada novamente nesta semana em entrevista à Rádio Bandeirantes.

LEIA MAIS – Presidente do Grêmio nega “precipitação” com Renato, opina sobre Guerrero e rebate Thiago Neves: “Achar culpados?”

Nela, Bolzan relembrou uma conversa que teve com o lendário ex-presidente gremista e seu antecessor, Fábio Koff:

“Não há nenhuma hipótese. Enquanto eu estiver no Grêmio, não irei concorrer a nada. Assumi um compromisso com o presidente Fábio Koff de não concorrer a cargo eletivo enquanto estivesse no Grêmio e assim o farei. Agora, eu sou um homem político. Tenho partido. Fui trabalhista por oito anos. Fui prefeito da minha cidade três vezes, também vice-prefeito, presidente estadual do meu partido. Sou um homem político e não renego a minha história. Mas enquanto eu estiver no Grêmio, não vou concorrer”, prometeu.

Bolzan tem o nome muito bem visto internamente pelo seu partido, o PDT, que gostaria de entrar com força na disputa pelo cargo que, hoje, é de Eduardo Leite.

Caso mude de ideia e resolva participar das eleições, Bolzan precisaria deixar o comando do Grêmio antes do fim do seu mandato no clube, que termina em dezembro de 2022. Após este prazo, ele não pode mais seguir na presidência.

O atual presidente comanda o clube desde janeiro de 2015 e irá fechar oito anos ininterruptos de presidência no final do ano que vem.

  • Clique aqui para entrar em um grupo de WhatsApp e acompanhar as notícias do seu time.
Deixe um comentário