Amigo de Suárez, ex-lateral do Inter diz que Uruguai ficou repleto de camisas do Grêmio em 2023

Efeito Suárez no Grêmio fez todo o país uruguaio acompanhar os jogos do clube

Publicidade

Velho conhecido e amigo de Suárez, o ex-lateral-direito colorado na temporada de 2010, Bruno Silva, que também é uruguaio, deu um testemunho em entrevista à Rádio Gaúcha sobre o quanto o Uruguai, ao longo de 2023, “torceu” para o Grêmio. Fruto do “efeito Luisito”, o país todo teve camisas gremistas espalhadas e utilizadas por pessoas que, normalmente, não acompanhavam o time gaúcho.

“Em cada cidade que eu passava, aos sábados à tarde, quando tinha o futebol das crianças, era só camisa do Grêmio. Era só camisa do Grêmio por todo o país, em lojas. O Luis é uma referência muito forte. Conheço pessoas que compraram (assinaram) aplicativos só para ver os jogos do Grêmio, jogos do Luis”, colocou Bruno, que ainda falou do momento de dificuldade de Suárez por dores no joelho:

“Não estava sendo fácil para ele e a família, com joelho e a dor. Conviver com a dor é difícil, ainda mais para um cara competitivo como ele, que se sentia um pouco impotente. A dor limitava um pouco ele. Muita concentração, ficava pouco em casa. Isso o futebol brasileiro tem, te deixa um pouco longe da família. A família fez um esforço muito grande também. Ele devolveu em um ano espetacular”.

Cavani seria um bom substituto para Suárez

Um nome que recentemente surgiu como alternativa a Suárez no Grêmio foi o do também uruguaio Edinson Cavani, que tem contrato com o Boca Juniors até o fim de 2024.

“É um jogador diferente do Luis. Fisicamente, tem um desgaste maior. Não é tão definidor como o Luis. Não dá tantas assistências. Teve um ano com altos e baixos no Boca, mas é um profissional de alta qualidade. Dispensa comentários”, finalizou Silva.

Entre no canal do WhatsApp do Zona Mista e receba notícias do Grêmio em tempo real. (Clique Aqui)