fbpx

Reserva de Borja, Diego Souza não deve ficar no Grêmio em 2022 e tem três cenários possíveis para o próximo ano

Centroavante de 36 anos tem sido reserva desde que Miguel Borja chegou ao clube

Vivendo um momento de reserva no time do Grêmio desde a chegada do colombiano Miguel Borja, Diego Souza parece estar com os dias contados no clube e não deve ficar para a temporada de 2022. O jogador de 36 anos ainda não foi procurado para tratar de uma eventual renovação contratual, sendo que o seu vínculo tem validade apenas até dezembro.

LEIA MAIS – Ex-assessor do Grêmio lembra relação espetacular com Renato e diz ter se emocionado com entrevista “histórica” de Kannemann

Existem, segundo o jornalista Jorge Nicola, três cenários possíveis para Diego a partir de janeiro: encerrar a carreira para passar mais tempo com a família, voltar ao Vasco da Gama ou voltar ao Sport Recife.

“Pela condição de reserva, o Diego Souza já decidiu que não ficará no Grêmio para 2022. E é bem provável também que o Grêmio nem fizesse proposta. Hoje o Diego trabalha em cima de três possibilidades: se aposentar, algo que ele pensa até para poder se dedicar mais a família e curtir coisas que ele gosta, jogar no Vasco ou no Sport – são as outras duas alternativas. Tanto no Vasco quanto no Sport são dois clubes que ele fez sucesso e voltaria com moral”, declarou Nicola em vídeo no YouTube.

O último gol de Diego Souza pelo Grêmio foi na vitória de 2×0 em casa diante do Bahia, pelo Brasileirão, quando também iniciou na reserva – Borja, aliás, foi quem fez o gol que abriu o marcador na Arena nesta específica partida.

Contratado por um pedido especial de Renato Portaluppi em janeiro de 2020, Diego Souza, que na época chegou junto com Thiago Neves, está na sua segunda passagem com a camisa do Grêmio. Na primeira, em 2007, foi protagonista do título estadual e do vice-campeonato da Libertadores.

Gostou do site? Então deixe sua curtida:

Publicidade

Utilizamos cookies. Aceitar Ler políticas