Reforços imediatos, Coudet e foco definido: o que esperar do segundo mandato de Alessandro Barcellos

Atual mandatário colorado venceu Roberto Melo nas eleições realizadas neste sábado

Publicidade

Em disputa apertada contra o rival Roberto Melo, Alessandro Barcellos garantiu a sua continuidade na presidência do Inter com pouco mais de 53% dos votos na eleição deste sábado. Agora, terá, no seu segundo mandato, a missão de comandar o clube até a temporada de 2026 com a missão de recolocar o time no caminho dos títulos.

“Valor importante do clube do povo, da nossa gente, da nossa torcida, que soube compreender as dificuldades dos primeiros anos com uma gestão comprometida com o futuro do clube e não com o passado. O passado não tem dono. O passado é dos colorados. Essa eleição nos dá oportunidade agora de juntarmos os colorados, de estarmos unidos todos nós, para que as coisas comecem a acontecer como a gente quer e para que os títulos venham”, disse o presidente.

Veja também:
1 De 5.985

Para isso, Barcellos está ciente da necessidade de reforços. E, ao contrário da temporada de 2023, a sua expectativa é de que as principais contratações do primeiro ano do segundo mandato já possam vir nas próximas semanas, antes do Natal. O clube deseja um zagueiro, um meia e um atacante, preferencialmente.

Coudet deve ficar

Com a vitória de Barcellos, de quem é amigo, o técnico Eduardo Coudet tem caminho livre para acertar a sua renovação com o Inter. O presidente não trabalha com algum “plano B” e espera anunciar a renovação de Chacho já nos próximos dias, até como forma de acelerar o planejamento da temporada de 2024.

Foco definido de Barcellos

Antes mesmo de ser reeleito, Barcellos deixou bem claro que o principal foco do Inter em 2024 será o Brasileirão. Ele chegou a falar em fazer “38 finais” durante recente entrevista ao jornalista Luiz Carlos Reche, na UlbraTV. Mas, além do nacional, o colorado ainda jogará o Gauchão, a Copa do Brasil e a Sul-Americana.

Canal WhatsApp - Zona Mista Inter

Utilizamos cookies. Aceitar Ler políticas