Patrick desconhece interesse do Palmeiras, se diz 100% fisicamente e fala sobre opções táticas de Ramírez

Meia colorado falou pela primeira vez sobre a atual situação no time em entrevista ao jornalista Vagner Martins

Publicidade

Após ficar de fora da estreia colorada na Libertadores contra o Always Ready, na Bolívia, em derrota por 2×0, o meia Patrick voltou a ser titular do Inter no 5×0 sobre o Esportivo em casa, neste sábado, se credenciando para voltar a ter sequência no time. Algo que, segundo ele próprio, não sabe se irá acontecer já a partir de terça, contra o Táchira, no Beira-Rio, pelo torneio continental.

Patrick, segundo jornalista Vagner Martins, da Bandeirantes, garantiu que está 100% fisicamente e que respeita as escolhas táticas de Miguel Ángel Ramírez, que o retirou do meio de campo e o estabeleceu como ponta. Contra Aimoré e Esportivo, o jogador atuou pela direita, algo até então raro na carreira.

Patrick garante que vai permanecer no Inter – Foto: Divulgação/Twitter-Inter

Apesar dos constantes rumores envolvendo uma possível ida ao Palmeiras, Patrick garantiu que “não existe negociação nenhuma” e que vai ficar no Inter, com quem tem contrato até o fim de 2021. Confira as informações de Martins:

Ramírez debate “caso Patrick” com repórter

Sem ironizar ou querer confrontar o jornalista, Ramírez devolveu uma pergunta neste sábado quando o repórter Thaigor Janke, da Bandeirantes, iniciou o questionamento sobre o aproveitamento e o posicionamento de Patrick.

“No esquema que jogamos, você escalaria Patrick em qual posição?”, perguntou o treinador.

“Eu escalaria como ponta pela esquerda”, declarou o jornalista.

“Neste nosso esquema, Patrick é ponta. Concordamos com isso. Ele precisa de espaço. Nossos meias me dão muitas opções. Boschilia e Taison estão chegando e podem jogar por dentro também. Ele tem maior dificuldade no espaço curto. Patrick tem muitas bolas perdidas quando atua pelo meio. Quanto mais espaço ele tem, mais perigoso ele fica. Ele não deve se sentir preso a um sistema tático. Mas não é um processo de hoje pra amanhã. De um mês para o outro. É um processo. Pouco a pouco vai melhorar”, explicou Ramírez, antes de garantir que a sua ausência na Bolívia foi por questão tática:

“Ele não entrou na Bolívia por questão tática. Pensei em uma equipe sem pontas no segundo tempo. Resolvemos jogar com dois centroavantes. Só por isso”, comentou.

Na semifinal do Gauchão, com vantagem de fazer a segunda partida em casa, o Inter encara o Juventude. A outra semi tem Grêmio x Caxias.

Entre no canal do WhatsApp do Zona Mista e receba notícias do Inter em tempo real. (Clique Aqui)