Os 5 clubes da Série A que não aprovam a paralisação do Brasileirão

CBF ainda não tomou uma decisão oficial sobre a paralisação ou não do Brasileirão

Publicidade

Enquanto a CBF ainda não define o futuro do campeonato, os clubes começam a se posicionar sobre a paralisação ou não do Brasileirão. Nesta segunda-feira, os times que fazem parte da Liga Forte União votaram em unanimidade a favor da interrupção do campeonato, tendo em vista a dramática situação vivida pelo Rio Grande do Sul por causa das enchentes.

Athletico-PR, Atlético-GO, Botafogo, Criciúma, Cruzeiro, Cuiabá, Fluminense, Fortaleza, Inter, Juventude e Vasco são as equipes da Série A que fazem parte deste bloco. Nas redes sociais, a LFU fez o seguinte comunicado aos seguidores:

Veja também:
1 De 5.923

“Nesta segunda-feira, todos os clubes da Liga Forte União na Série A se posicionaram perante o ofício enviado pela Confederação Brasileira de Futebol. De forma unânime e em bloco, todos são a favor da paralisação imediata do Campeonato Brasileiro até a data de 31 de maio de 2024. A paralisação se faz necessária como medida humanitária, consensual e de justiça de competição”, diz o post.

Grêmio, Atlético-MG, Corinthians e Bragantino também são favoráveis à paralisação do Brasileirão. Dos quatro, apenas o Corinthians não pertence ao grupo Libra. Desta forma, somente cinco times neste momento são contra a interrupção dos jogos: Bahia, Flamengo, Palmeiras, São Paulo e Vitória.

Postura da CBF sobre a Série A

No último domingo, a CBF soltou nota oficial informando que irá realizar uma reunião com todos os clubes para debater diversos temas no dia 27 de maio. Até lá, em tese, os jogos seguem sem as participações dos gaúchos. Nesta semana, o presidente da entidade, Ednaldo Rodrigues, estará na Tailândia, onde participará do Congresso da Fifa para a votação da sede da Copa do Mundo feminina de 2027.

Ajude o Rio Grande do Sul – Doe pelo PIX – CNPJ: 92.958.800/0001-38

Ajude o Rio Grande do Sul
Chave PIX - CNPJ: 92.958.800/0001-38 Instituição: Banrisul Nome: SOS Rio Grande do Sul

Utilizamos cookies. Aceitar Ler políticas