fbpx

No STJD, Edenilson mantém versão de que foi chamado de “macaco” e não terá novo encontro com Ramos; lateral grava vídeo

Volante compareceu no STJD em São Paulo para dar a sua versão do caso do dia 14 de maio

Um dia depois de participar da vitória de 2×0 sobre o Bragantino fora de casa pelo Brasileirão, o volante Edenilson compareceu ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) em São Paulo para prestar depoimento sobre o caso de suposto racismo que denunciou no dia 14 de maio, no Beira-Rio, contra o lateral-direito do Corinthians, Rafael Ramos. O jogador do Inter manteve a versão de que foi chamado de “macaco”.

Paulo Feuz, auditor-relator do caso no STJD, conversou com a imprensa depois do depoimento desta segunda e estimou um prazo de 35 dias para a conclusão dos trabalhos. Ele também descartou um encontro pessoal entre os dois envolvidos, na chamada “acareação”:

“O depoimento do Edenilson demorou cerca de 30 minutos, depois tem a checagem do material, para ver se estava de acordo com o que ele falou. Deixamos ele muito à vontade, garantimos a ampla defesa, os advogados dele acompanharam, o advogado do Rafael também presenciou o depoimento”, afirmou Feuz, antes de acrescentar:

“Queremos acabar no prazo legal, em torno de 30, 35 dias, mas como tem uma prova de perícia labial que não depende muito da gente, pode ser que tenha uma demora, um pouquinho mais. Nós teremos a perícia oficial, do tribunal”.

Rafael Ramos grava vídeo e contesta versão de Edenilson

O procurador-geral do STJD, Ronaldo Piacente, revelou que Ramos, em seu depoimento, gravou um vídeo falando a mesma coisas que alega ter dito para Edenilson durante o jogo. A ideia do jogador do Corinthians é que as autoridades possam comparar as falas deste vídeo com as imagens do dia da partida.

“Pelo pouco de experiência que eu tenho, será exatamente a leitura labial, vai pegar o vídeo do VAR que foi solicitado, fizemos também uma gravação do Rafael Ramos falando a frase (que ele alega ter falado em campo). E o perito, com as técnicas dele, vai dizer se houve ou não a palavra ‘macaco'”, disse o procurador.

Edenilson seguirá com o Inter na concentração em São Paulo e se mantém no time na partida de quarta, 21h30, fora, frente ao Santos.

Gostou do site? Então deixe sua curtida:

Publicidade

Utilizamos cookies. Aceitar Ler políticas