Entenda por que não haverá VAR no Gre-Nal de domingo e quem é o árbitro “favorito” para apitar

Inter e Grêmio medem forças no final da tarde de domingo no Beira-Rio

Publicidade

Após vencerem na rodada do final de semana do Gauchão, Inter e Grêmio já passam a respirar o Gre-Nal de domingo, 18h, no Beira-Rio, ainda pela primeira fase do campeonato estadual. O clássico 441 terá uma arbitragem “raiz”, já que não haverá o recurso do VAR nem mesmo para esta partida específica. Inclusive, o regulamento da competição veta a tecnologia para apenas um jogo pontual.

Durante o congresso técnico promovido pela Federação Gaúcha de Futebol antes do Gauchão, em reunião com a presença dos clubes, ficou definido que nenhum jogo da primeira fase teria o VAR. Nem mesmo o Gre-Nal, como forma de evitar um “desequilíbrio técnico” no campeonato.

“Os clubes decidiram no conselho técnico que não queriam VAR na primeira fase. Mencionamos que, diante dessa decisão, não haveria exceção, pois geraria desequilíbrio técnico na competição”, explicou Luciano Hocsmann, presidente da FGF.

Em anos anteriores, o regulamento permitia a “entrada” do VAR nas partidas da fase inicial, desde que os clubes arcassem com os custos da instalação da tecnologia. Em 2024, os árbitros terão o auxílio do monitor somente a partir das quartas do Gauchão.

Quem vai apitar o Gre-Nal?

A escala ainda não foi divulgada oficialmente pela FGF, mas a tendência é que Rafael Klein seja o árbitro do Gre-Nal 441. Ele obteve bastante notoriedade em 2023, quando foi eleito o melhor juiz do Gauchão e passou a apitar com mais frequência jogos da Série A. Recentemente, entrou para o quadro de arbitragem da Fifa.

LEIA MAIS NOTÍCIAS:

Ajude o Rio Grande do Sul – Doe pelo PIX – CNPJ: 92.958.800/0001-38

Ajude o Rio Grande do Sul
Chave PIX - CNPJ: 92.958.800/0001-38 Instituição: Banrisul Nome: SOS Rio Grande do Sul