Conmebol quer recriar torneio, e Inter poderá disputar vaga no Mundial de 2021

Publicidade

Em entrevista coletiva na sede da entidade em Luque, no Paraguai, o presidente da Conmebol, Alejandro Domínguez, projetou o retorno da disputa da Supercopa dos Campeões da Libertadores, torneio popularizado nos anos 90. Com a possibilidade de ser disputado entre dezembro e janeiro de 2020 e 2021, ele daria duas vagas ao novo Mundial da Fifa.

Em novo formato, o Mundial reunirá 24 clubes a partir de 2021, com seis vagas disponíveis ao continente sul-americano. Duas destas vagas viriam da Supercopa, enquanto as outras quatros sairiam de:

  • Campeão da Libertadores 2019 (Boca Juniors, River Plate, Flamengo ou Grêmio)
  • Campeão da Libertadores 2020
  • Campeão da Copa Sul-Americana 2019 (Colón ou Independiente Del Valle)
  • Campeão da Copa Sul-Americana 2020

Inicialmente, a CBF se mostra contra a volta da Supercopa por não ter mais datas disponíveis em seu calendário.

A Supercopa reúne todos os 25 clubes campeões da Libertadores, como Inter e Grêmio, com exceção de quem já tiver garantido lugar por alguma conquista nos próximos anos.

O conselho da Conmebol, formado pelos 10 presidentes das confederações sul-americanas, ainda se reunirá em novembro para aprovar ou não as mudanças e a possibilidade da volta da Supercopa.

Entre no canal do WhatsApp do Zona Mista e receba notícias do Inter em tempo real. (Clique Aqui)