Cinco informações passadas por Eduardo Coudet sobre como pensa o Inter em 2020

Publicidade

Contratado até o final da temporada de 2021, Eduardo Coudet terá tempo para trabalhar no Inter. E algumas de suas ideias já ficaram claras na coletiva de apresentação oficial, concedida no final da manhã desta quinta-feira, um dia depois de sua chegada a Porto Alegre.

Em itens, resumimos abaixo cinco tópicos importantes passados por Chacho Coudet em sua primeira entrevista.

  • Vai olhar com atenção pra base. As críticas da torcida colorada sobre o pouco uso dos jovens devem acabar em 2020. Coudet disse que já tem conhecimento de jogadores da base do Inter e relatou que “a bola não pede identidade pra jogar”, indicando que vai olhar com carinho à base do clube.
  • Aguardará o plantel pra saber qual o melhor sistema de jogo. Coudet adiantou que gosta de jogar com um esquema de dois atacantes, mas deixou claro que vai aguardar as definições do elenco (renovações, saídas, contratações) para estabelecer o esquema tático ideal e os 11 iniciais.
  • Relação com D’Alessandro. Sobre D’Ale, o novo técnico fez elogios, admitiu ter uma ótima relação e indicou que deseja sua permanência, mas lembrou que “as regras são iguais para todos” e que já trabalhou com jogadores “amigos”, como Marco Rúben, no Rosario Central.
  • Gre-Nal. Coudet não pretende falar de Gre-Nal até que o Inter consiga a sua vaga à fase de grupos da Libertadores, onde, aí sim, encontraria o maior rival. O foco do treinador é na primeira rodada do qualificatório, que será contra Unión Española ou Universidad de Chile.
  • Avaliação positiva do elenco. Chacho entende que o Inter tem um “bom” plantel e que precisará de reforços pontuais, descartando qualquer tipo de ruptura drástica em termos de nomes para 2020.
Entre no canal do WhatsApp do Zona Mista e receba notícias do Inter em tempo real. (Clique Aqui)