Alan Patrick desabafa após “noite dolorosa” e pede aos torcedores do Inter: “Sigam acreditando”

Meia deu a assistência para o gol do zagueiro Gabriel Mercado contra o Fluminense

Autor da assistência para o gol de cabeça de Gabriel Mercado, o meia Alan Patrick desabafou depois da derrota de virada do Inter de 2×1 para o Fluminense, no Beira-Rio, que custou a classificação para a final da Libertadores. Frustrado pela eliminação, o capitão admitiu o gosto amargo e pediu o apoio da torcida neste momento difícil:

“Acho que juntos, depois dessa noite dolorosa, o que eu peço é que o torcedor siga apoiando e acreditando. Junto com eles chegamos nesse momento próximo de uma final. Futebol é assim. Agora é digerir esse amargo. Voltar a trabalhar e virar a página o mais rápido possível. Nossa profissão exige que a gente reaja rapidamente. Teremos uma grande oportunidade diante do nosso maior rival. E contamos com o apoio da torcida. Queremos sair no domingo com uma história feliz”, disse.

Veja também:
1 De 6.127

Na mesma entrevista dada pós-jogo, Alan Patrick tentou olhar para frente visando uma “arrancada” no Brasileirão, onde o Inter é o 14° com 29 pontos – apenas três pontos acima do Z4. No domingo, às 16h, também em casa, o rival é o Grêmio:

“É possível melhorar, tem 13 rodadas ainda, sabemos a dificuldade do campeonato, mas precisamos reagir. E vamos focar totalmente nisso. Para que a gente consiga dar uma arrancada para pensar no grupo da frente na tabela. É jogo a jogo. É um momento doloroso. Amanhã é um novo dia e vamos estar novamente trabalhando pensando no rival”, acrescentou.

Alan Patrick elogia Fluminense

Em um espaço de seis minutos já na parte final do segundo tempo, o Inter viu o seu sonho de jogar a final da Libertadores ir ladeira abaixo. Superior na etapa complementar, o time carioca virou com gols de John Kennedy e Cano:

“É difícil dizer o que aconteceu no momento dos gols deles. A grandeza desses jogos… os detalhes, a qualidade do adversário que é grande. Eles foram fatais nessas oportunidades. É assim. Foram seis minutos que é até difícil falar e apontar alguma coisa. Tentar virar página e seguir trabalhando”, finalizou Alan Patrick.

Utilizamos cookies. Aceitar Ler políticas