Tiago Nunes, que teve o nome ligado ao Grêmio, lamenta insistência por estrangeiros: “Matando uma geração”

Treinador gaúcho segue livre no mercado e concedeu entrevista ao Canal do Alê, no YouTube

Publicidade

Apontado pelo repórter César Fabris, da Rádio Gre-Nal, há duas semanas, como “plano B” do Grêmio se Renato Portaluppi não continuar, o técnico gaúcho Tiago Nunes concedeu entrevista ao Canal do Alê, no YouTube, criticando a “moda” dos clubes brasileiros em buscar treinadores estrangeiros.

Na abertura da temporada, para efeito de ilustração, o Santos fechou com o argentino Ariel Holán e o Inter está perto de se acertar com o espanhol Miguel Ángel Ramírez.

“A gente está matando uma geração inteira de treinadores porque agora se instituiu que nenhum treinador brasileiro serve, que é todo mundo ruim, que todo mundo é burro, incapaz, não tem qualificação necessária, e que é bom quem vem de fora. O futebol não pede passaporte. Tem gente boa em todo lugar. Tem gente ruim também em todo lugar. É importante a gente não matar os treinadores por aqui”, lamentou Tiago.

O último clube de Nunes foi o Corinthians, de onde foi demitido por maus resultados no Brasileirão de 2020. Antes, brilhou comandando o Athletico e levando o Furacão aos títulos da Copa Sul-Americana e da Copa do Brasil.

Grêmio descartou acerto

Tiago Nunes, que é gaúcho de Santa Maria, trabalhou nas categorias de base do Grêmio no início da carreira e, anos depois, segundo a direção, não está perto de voltar ao clube para o profissional.

Tanto o presidente Romildo Bolzan Jr como o próprio Tiago Nunes, em momentos diferentes, negaram ter acerto para o caso da suposta saída de Renato, que segue tratando da sua renovação.

Entre no canal do WhatsApp do Zona Mista e receba notícias do Grêmio em tempo real. (Clique Aqui)