Thiago Neves diz que queria ir ao Atlético-MG após deixar o Grêmio, mas cutuca: “Clube que não ganha”

Meia de 35 anos de idade concedeu entrevista ao jornalista Rica Perrone, no YouTube

Publicidade

Em entrevista concedida nesta quinta-feira ao jornalista Rica Perrone, no YouTube, o meia Thiago Neves, atualmente jogador do Sport Recife, reconheceu que gostaria de ir jogar no Atlético-MG após sair do Grêmio. As conversas avançaram, mas a postura irritada da torcida do Galo fez a diretoria recuar.

“O Alexandre Mattos me ligou e a primeira coisa que ele perguntou foi a seguinte: ‘Quer ser campeão comigo?’ Eu disse que aceitava o desafio, mas perguntei se eles estavam preparados para o que podia vir pela frente. E aí ele me disse que o Sampaoli me queria de qualquer jeito etc…Então, eu estou dentro, ainda mais agora com estádio vazio e ninguém pode me bater (risos)”, comentou o jogador, antes de ampliar:

“Depois o Sampaoli me ligou, fizemos conforme o que pediram, tudo bonitinho e no papel. Aí deu 15 minutos e desistiram por conta da reação da torcida. Eu iria, assinei e gosto destes desafios. Imagina, eu chego no Atlético e ganho o Brasileiro depois de não sei quantos anos, aí eu encerraria minha carreira (risos)”, completou.

Por fim, ao “definir” a torcida do Atlético-MG, Thiago Neves deu voz ao seu estilo provocativo de sempre:

“Não tenho o que falar, são fanáticos demais, mas infelizmente torcem para um clube que não ganha (risos)”, declarou.

Confira a íntegra da entrevista e, abaixo do vídeo, as principais declarações de Thiago Neves sobre o Grêmio:

Início no Grêmio

“A gente já estava tendo conversas desde 2018. O Grêmio tentava, negociava com o Cruzeiro, mas eu renovei lá. Aí em 2019 aconteceu tudo aquilo e o Renato falou que iria cuidar de mim, falou: “Vem pra cá”. Eu fui. Cheguei e já senti que, tipo, tem a desconfiança pelo que aconteceu com o Cruzeiro em 2019. Eu cheguei no Grêmio precisando pedir desculpas pelo que disse em 2017 do “chupa, Grêmio”.

Expectativa frustrada

“Quando voltaram os jogos, a diretoria estava em cima do Renato e a torcida pressionando. O Grêmio não vinha jogando bem, mesmo com várias contratações. Quando ele me botava, eu era crucificado. Me sentia mal, pois parecia que tudo de ruim no Grêmio a culpa era minha. Acho que eu fui muito injustiçado. Desde o primeiro dia, fui muito bem recebido. Achei que eu iria arrebentar. O time era muito bom e havia muita esperança em mim. E a minha esperança também era boa”

Conversa com Maicon e surpresa com notícia

“Mas chegou uma hora que eles acharam melhor “saírem” comigo do que tentarem me dar outras chances. Foi uma decisão só deles (direção). Achei injusta a forma que me comunicaram. Jogamos contra o Sport e perdemos na Arena. No outro dia eu fui treinar normal e o Maicon me chamou pra eu ver uma notícia “Thiago Neves é demitido do Grêmio”. Mostrou o celular e perguntou pra mim se era verdade. Eu falei que não sabia de nada e que achava que era fake”

Rescisão

“O que eu sabia é que a direção não queria mais a cláusula de meta de jogos para a renovação automática. Mas isso eu tiraria tranquilo. Tanto que eu deixei bem claro isso. O Maicon mesmo falou que estava estranho. Fiz o treino normalmente e o meu empresário me ligou: “O diretor quer falar com você. Os caras não querem mais. Vai pra casa”. Peguei e fui embora. Durante uma semana, não fui comunicado pelo Grêmio. Apenas um diretor ligou para o meu empresário. Até hoje, não sei o que aconteceu. Só sei que, da forma que foi, não se faz nem com um cachorro”

Entre no canal do WhatsApp do Zona Mista e receba notícias do Grêmio em tempo real. (Clique Aqui)