Thiago Maia diz que repensou carreira após a enchente e revela lição: “Meus pais me ensinaram”

Volante falou no último sábado sobre o seu papel de ajuda aos mais necessitados

Publicidade

O volante Thiago Maia, que foi para a linha de frente dos resgates às vítimas da enchente no Rio Grande do Sul, admitiu ter ficado psicologicamente abalado por tudo que viveu ao longo do mês de maio em Porto Alegre. Ele, neste sábado, logo depois da vitória de 1×0 sobre o Delfín, pela Sul-Americana, na volta do Inter ao RS jogando em Caxias do Sul, chegou a dizer até que repensou a continuidade da carreira.

Vídeos que circularam e viralizaram pelas redes sociais mostraram, em maio, Thiago Maia resgatando uma senhora de idade, um cachorro e utilizando jet-ski ao lado de amigos para socorrer quem estivesse necessitado. Ele foi contratado junto ao Flamengo em março, sendo ainda um novato em território gaúcho.

Veja também:
1 De 6.008

“É uma situação muito triste. Muita gente queria falar comigo, mas eu me segurei, não queria me vangloriar em cima dos outros. Como ser humano, os meus pais me ensinaram a amar o próximo e eu não podia ficar em casa. Pude ajudar da melhor forma possível. Corremos atrás de barco e jet-ski. O pós foi difícil. Psicologicamente, fiquei abalado. Comentei até com meus familiares se valeria a pena seguir jogando por tudo que aconteceu, mas o Inter deu todo o suporte”, disse Thiago Maia.

A declaração de Thiago Maia:

Quando o Inter joga de novo?

Classificado para o playoff da Sul-Americana contra o Rosario Central, da Argentina, em jogos a serem realizados no mês que vem, o Inter pensa agora novamente no Brasileirão. Na quinta-feira, às 20h, o rival é o São Paulo no Heriberto Hülse, em Criciúma.

LEIA MAIS:

Canal WhatsApp - Zona Mista Inter

Utilizamos cookies. Aceitar Ler políticas