Sincero, Abel diz que “mal conhecia” nome dos atletas do Inter e responde se segue com energia para trabalhar

Experiente técnico colorado já amarga duas derrotas seguidas em seu retorno ao Beira-Rio

Publicidade

Livre no mercado desde que deixou o Vasco da Gama ainda no início do ano, o experiente técnico Abel Braga topou o desafio de substituir Eduardo Coudet no Inter e até agora mantém um início ruim, com duas derrotas em dois jogos, em meio ao processo de conhecer melhor o próprio elenco que tem em mãos.

Neste sábado, depois da derrota de 2×0 fora de casa para o Santos, que custou a liderança do Brasileirão, o técnico do Inter admitiu que, antes de sua estreia na última quarta – em derrota de 1×0 para o América-MG pela Copa do Brasil -, “mal conhecia” o nome dos jogadores colorados:

“Eu mal conhecia o nome dos jogadores no primeiro jogo. Eu não consegui treinar o time. Mas não pode ser desculpa. Temos que procurar reagir e isso pra ontem. Temos uma decisão na quarta. E outra série de decisões”, relembrou.

Com uma extensa e vitoriosa carreira, principalmente no colorado, Abel negou que falte a ele a mesma “energia” de outros tempos da carreira. Atualmente, o profissional tem 68 anos de idade:

“Não. Estou aqui rouco. Tenho gritado mais. Aqui na Vila é diferente, tudo que o treinador fala o adversário escuta, estamos colados. Não tem nada a ver. É característica. Se estou mais calmo eu não sei. Estou tentando ser eu mesmo. Gritamos bastante. Mas você viu nesse jogo o Santos ter em relação ao Inter como nós tivemos no segundo tempo contra o América? Estávamos com o gol mais maduro no segundo tempo até sofrer o gol do adversário. Eles não tinham chutado no nosso gol”, declarou em coletiva.

Agora, o Inter foca as suas atenções na Copa do Brasil para o jogo da volta das quartas de final contra o América-MG, fora, na quarta-feira. Para avançar à semi, precisará vencer por dois gols de diferença.

Confira outras declarações de Abel Braga depois de Santos 2×0 Inter:

“Nós temos que ter atitude. Nós temos que ter entrega como líder do campeonato. Eu acho que o Inter foi intenso. Jogamos sem mudar nada. Dois volantes e o Marquinhos (Guilherme), o Galhardo, o Abel e o Maurício. Não tem isso de jogar pra trás. Isso aqui é Internacional. Mas sai daqui todo mundo chateado. Em três dias são duas derrotas. Isso não passava na cabeça de nenhum de nós”
.
“O que está acontecendo é que não estamos conseguindo dar uma continuidade boa. No primeiro tempo as coisas estavam correndo bem. Nós conversamos, mudamos uma coisinha em questão de posicionamento e sofremos um gol em condições anormal. Um grau de facilidade muito grande pro adversário”
.
“Nós temos que procurar agir e ter atitudes. Temos que pensar, agir e ter a entrega como líder do campeonato. Isso até o primeiro gol não faltou. Já queríamos essa reação hoje”
.
“Um grau de facilidade grande para o adversário, nós não marcamos corretamente na linha entre a bola e o gol. Você vai ver que não estávamos enquadrados do jeito que deveríamos ficar. O erro aconteceu num momento que não gostaríamos, que não queremos”
.
“Nós não temos que ter desculpa. Isso aqui é Internacional. Com dor ou sem dor, temos que procurar reagir”

Entre no canal do WhatsApp do Zona Mista e receba notícias do Inter em tempo real. (Clique Aqui)